Fatura eletrónica leva Sonae a poupar 15 milhões de euros por ano

Com as faturas eletrónicas, a multinacional portuguesa poupa 90 toneladas de papel, 10 milhões de litros de água e mais de 50 milhões de emissões de CO2, anunciou esta segunda feira em comunicado.

Sonae

A Sonae, a multinacional portuguesa dona do Continente e da Worten, poupa mais de 15 milhões de euros anuais graças à adoção das faturas eletrónicas no relacionamento com os seus parceiros e fornecedores, iniciativa que foi implementada em 2005.

Na altura, a empresa procurava “melhorar a qualidade de informação para a gestão de negócios, otimizar os tempos de tratamento de informação e proporcionar poupanças económicas e ambientais”, lê-se em comunicado.

Hoje, 93% das faturas totais geradas pela Sonae já são electrónicas e os resultados são vísiveis: além da maior eficiência e produtividade nas diversas áreas de negócio, a multinacional poupou anualmente mais de 90 toneladas de papel, 10 milhões de litros de água e mais de 50 milhões de emissões de CO2, valores que culminam numa poupança anual na ordem dos 15 milhões de euros.

Recomendadas

IKEA vai investir em novas lojas em Portugal: margem sul do Tejo, Cascais e Sintra

A multinacional sueca pretende abrir lojas de pequena dimensão em Sintra, Cascais e a sul de Lisboa, assim como centros de encomendas, de planeamento e de levantamento.

Sonae quer abrir até 60 lojas Continente Bom Dia até 2021

Para apostar na abertura de novas lojas, a Sonae prevê um investimento acumulado entre 260 a 280 milhões de euros, sendo que para a manutenção da atual rede de hiper e supermercados e outros espaços lojistas o grupo poderá empregar cumulativamente até aproximadamente 445 milhões de euros nos próximos dois anos.

Sonae MC concluiu ‘sale and lease back’ de imóveis e ganhou 10,9 milhões

Esta operação totalizou 24,4 milhões de euros e gerou um ganho de capital estimado de 10,9 milhões de euros, refere a Sonae que adianta que “o nível de detenção de ativos de retalho (freehold) da Sonae MC passou a situar-se em 43%”.
Comentários