Fernando Alexandre: “O país não tem solução sem imigração”

O economista explicou que entre 2010 e 2018 a população portuguesa diminuiu 3%, com o envelhecimento a colocar vários desafios à economia portuguesa.

Fernando Alexandre
DR

O economista e professor universitário Fernando Alexandre alertou esta segunda-feira para os desafios demográficos que Portugal enfrenta e defendeu que a resposta passa pela imigração.

Numa conferência sobre produtividade, organizada pela SEDES – Associação Portuguesa para o Desenvolvimento Social, em Lisboa, o antigo Secretário de Estado Adjunto da ministra da Administração Interna do governo de Pedro Passos Coelho disse que “quando falamos de produtividade falamos de talento. É importante ter pessoas e Portugal tem cada vez menos pessoas”.

O economista destacou que desde 2010 Portugal perdeu população todos os anos e que entre 2010 e 2018 a população portuguesa diminuiu 3%, o que se traduz menos 20 mil pessoas a consumir.

“Tem efeito na procura e na oferta. A população está a diminuir e a sua composição está a alterar-se”, frisou, realçando que a população portuguesa está em envelhecimento acelerado e representa uma das dinâmicas mais negativas da OCDE.

“O país não tem solução sem imigração, porque já não há inversão de saldo natural que permita inverter esta tendência”, concluiu.

Relacionadas
Fernando Alexandre

Fernando Alexandre: “Não há nada que represente mais a debilidade das instituições portuguesas do que o valor da dívida”

O economista defendeu que o elevado endividamento de uma economia reflete problemas de gestão e governação pública e privada, “o insuficiente conhecimento” de vantagens competitivas ou “da incapacidade de antecipar” riscos e falta de visão a longo prazo.
Fernando Alexandre

Fernando Alexandre: “Por hora, um belga gera o dobro do valor que um português em Portugal”

Numa conferência sobre produtividade, organizada pela SEDES – Associação Portuguesa para o Desenvolvimento Social, o economista explicou que “um português produz por hora de trabalho 65% do que produz um europeu médio”.
Recomendadas

Ministra do Trabalho: apoio às empresas em ‘lay-off’ diferenciado em função da quebra de faturação

O apoio às empresas em ‘lay-off’ que retomarem a atividade será diferenciado em função da quebra de faturação, com vista a direcionar as ajudas públicas “a quem mais precisa”, afirmou a ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, na terça-feira.

Infografia | Sintra e Lisboa lideram no número de novos casos diários

Sintra (45) e Lisboa (39) foram os dois concelhos a nível nacional que registaram mais novos casos confirmados de Covid-19 nas últimas 24 horas. Seguem-se a Amadora e Loures (ambos com 25 casos cada), seguidos por Odivelas (21).

CFP: Impacto de ajuda à TAP nas finanças públicas depende da forma de intervenção

A instituição presidida por Nazaré da Costa Cabral nota que entre os apoios com impacto na dívida pública e eventualmente no saldo orçamental está eventuais injeções de capital que o Estado português possa vir a ter de efetuar em empresas públicas ou participadas.
Comentários