Festa do Avante: PSD aponta que riscos de saúde “não podem ser ignorados por razões partidárias”

“Os riscos de saúde para as populações não podem ser ignorados por razões partidárias”, disse o deputado Ricardo Baptista Leite.

Flickr/PSD

O deputado do PSD Ricardo Baptista Leite reagiu pelo Twitter ao parecer técnico da DGS sobre a festa do Avante e apontou que os riscos de saúde “não podem ser ignorados por razões partidárias”, esta segunda-feira, 31 de agosto.

“A DGS divulgou finalmente o parecer sobre a Festa do Avante. O Partido Comunista diz que não acolhe todas as recomendações. E nada acontece? Os riscos de saúde para as populações não podem ser ignorados por razões partidárias”, escreveu Ricardo Baptista Leite.

No parecer divulgado esta segunda-feira, 31 de agosto,  Direção-Geral de Saúde (DGS) considera “um risco real de que, durante o evento, circulem pessoas infetadas, com ou sem sintomas”, mas também que “a partilha tendencialmente inevitável, assim como a participação de membros de várias gerações, o que implica a potencial exposição de pessoas que pertencem a grupos mais vulneráveis ao vírus SARS-CoV-2”.

A festa terá uma lotação máxima de 16.563 pessoas em simultâneo, o consumo de bebidas alcoólicas é permitido apenas até às 20 horas, exceto durante as refeições. A DGS também definiu ser preciso manter um distanciamento físico de, pelo menos, dois metros e recomendou o uso de máscaras em todo o recinto para todas as pessoas com mais de 10 anos.

Por sua vez, o PCP considerou o parecer da DGS mais exigente em “vários domínios” para a Festa do Avante do que em outras iniciativas.

“O parecer da DGS contém em vários domínios graus de exigência maiores relativamente à Festa do que tem estabelecido para outras iniciativas, particularmente na capacidade e lotação de recintos e espaços fixados, que contrastam seja com os espetáculos que se estão a realizar no país, seja com as feiras do livro atualmente a decorrer em Lisboa e no Porto”, sublinhou o partido comunista esta segunda-feira, num comunicado enviado às redações.

Na missiva, os comunistas asseguram ainda que as recomendações da DGS serão acolhidas e que o Plano de Contingência apresentado pelo PCP será divulgado ainda esta segunda-feira.

Ler mais
Relacionadas

Governo diz que DGS divulgou parecer sobre a Festa do Avante devido ao “interesse público”

“Este evento adquiriu um carácter excecional, não do ponto de vista técnico, porque aí é como outro qualquer evento, mas sim do ponto de vista do impacto social e mediático”, afirma o secretário de Estado da Saúde.

Parecer sobre a Festa do Avante: DGS admite que existe um “risco real” de contágios

Depois de ter dito que não iria divulgar publicamente o relatório, a DGS liderada por Graça Freitas decidiu divulgar as regras sanitárias para a Festa do Avante que ainda será alvo de uma vistoria prévia pelas autoridades de saúde. O evento vai ter uma lotação máxima de 16.563 pessoas. Álcool só até às 20 horas, com exceções para as refeições.

PCP diz que parecer da DGS é mais exigente com Festa do Avante do que com outras iniciativas

Os comunistas garantem que o parecer da DGS reconhece condições de segurança da Festa do Avante e comprometem-se a divulgar plano de contingência ainda esta segunda-feira. “O parecer da DGS contém em vários domínios graus de exigência maiores relativamente à Festa do que tem estabelecido para outras iniciativas”, adiantam.
Recomendadas

Ana Gomes avisa que António Costa poderá rumar a Bruxelas em 2022

A socialista acredita que o primeiro-ministro poderá assumir o cargo de presidente do Conselho Europeu, atualmente ocupado pelo belga Charles Michel. Eventual saída de Costa teria lugar um ano antes do final da atual legislatura, que termina em 2023.

Sindicatos da Função Pública reúnem-se hoje com Governo para rever sistema de avaliação

Esta segunda ronda negocial sobre o sistema de avaliação realiza-se dez dias antes da greve marcada para dia 20 pela Frente Comum, em defesa do aumento dos salários, da revisão das carreiras e da tabela remuneratória e da revogação do SIADAP.

“Vamos fazer um investimento superior a 12 milhões de euros”, garante autarca de Lamego (com áudio)

Ângelo Moura, presidente da Câmara de Lamego, é o convidado do podcast “Conversas com Norte”, que poderá ouvir no site do JE e na ‘playlist’ do JE no Spotify. Nesta entrevista, fala do forte investimento na mobilidade sustentável, reabilitação urbana e intervenção comunitária, apesar das dificuldades impostas pela pandemia.
Comentários