Filial brasileira da EDP vai produzir hidrogénio verde no estado do Ceará

A central será a primeira das que o grupo português pretende instalar no Complexo Industrial e Portuário do Pecém, no município de São Gonçalo de Amarante, localizado na região metropolitana de Fortaleza, capital estadual.

A EDP do Brasil, subsidiária brasileira do grupo energético português EDP, vai produzir hidrogénio verde no estado do Ceará a partir do final de 2022, segundo um acordo firmado quarta-feira pela empresa e executivo estadual.

O governador do Ceará, Camilo Santana, disse em comunicado que a central de hidrogénio, com um investimento inicial de 41,9 milhões de reais (6,82 milhões de euros) para o projeto piloto, “será a primeira a entrar em operação no país” e terá capacidade para produzir 250 metros cúbicos normais/hora (Nm3/h).

A central será a primeira das que o grupo português pretende instalar no Complexo Industrial e Portuário do Pecém, no município de São Gonçalo de Amarante, localizado na região metropolitana de Fortaleza, capital estadual.

O hidrogénio verde ou renovável (H2V) é gerado a partir de eletricidade proveniente em 100% de energias renováveis através de um processo denominado “eletrólise da água”, que consiste na separação do oxigénio e do hidrogénio e o seu uso destina-se principalmente à indústria agropecuária com fertilizantes.

Estudos internacionais apontam que até 2050 o hidrogénio em todas as suas apresentações será responsável por 18% do consumo energético mundial.

Em julho, o grupo mineiro australiano Fortescue, um dos líderes mundiais na indústria do ferro, também fechou um acordo com o governo estadual do Ceará para a produção de hidrogénio verde.

A Fortescue vai investir seis mil milhões de dólares (98 milhões de euros) no projeto, prevendo-se a criação de 3.300 empregos, que tem como objetivo produzir 15 milhões de toneladas de hidrogénio verde (H2V) até 2030.

Ainda em julho, a empresa francesa de energias alternativas Qair e o executivo do Ceará anunciaram um memorando de entendimento que estima um investimento de 6.950 milhões de dólares (1,13 mil milhões de euros) na produção de hidrogénio verde em Pecém a partir de energia eólica em alto mar.

Recomendadas

Lista do quadros do Montepio alerta que 57% dos associados não pode votar presencialmente

“Verificou-se que a atual Administração optou por deixar de fora do voto presencial os Associados dos Açores, Madeira, Faro, Évora, Beja, Guarda, Castelo Branco, Portalegre, Setúbal, Leiria, Aveiro, Coimbra, Viseu, Viana do Castelo, Bragança, Braga, Santarém e Vila Real”, alerta a lista liderada por Pedro Gouveia Alves.

Marcelo defende que Estado e privados se unam na reconstrução do turismo

“É necessário que os agentes privados e os poderes públicos tenham uma visão coletiva a médio prazo. Os privados sabem que a retoma da atividade turística requer um horizonte a vários anos. É bom que Estado partilhe essa necessidade de uma visão a médio e longo prazo para o turismo”, defendeu o Chefe de Estado.

5G: Com novas regras em vigor, propostas somam os 375,4 milhões

As propostas dos operadores no leilão 5G somaram hoje 375,4 milhões de euros, no 180.º dia de licitação principal, de acordo com os dados divulgados pela Autoridade Nacional de Comunicações (Anacom).
Comentários