Fim de linha para Bobby Kotick. CEO da Activision Blizzard admite demissão após escândalo de assédio sexual

A Activision enfrenta uma pressão crescente nos últimos meses, com reflexo nos seus resultados financeiros, devido a várias acusações de funcionários sobre desigualdade salarial, discriminação e assédio sexual. Ainda assim, espera encaixar 8,1 mil milhões de euros até 2022.

Bobby Kotick, atual presidente-executivo e um dos fundadores da Activision Blizzard (uma das empresas de videojogos mais lucrativas do mundo), admitiu que irá demitir-se do cargo caso não consiga resolver os “problemas” na empresa. Quando Kotick fala em “problemas”, refere-se à demissão em massa de funcionários, após a justiça norte-americana ter avançado com um processo de assédio sexual, alegadamente praticado pelo CEO e por outros membros da direção, segundo a “Reuters”.

A Activision enfrenta uma pressão crescente nos últimos meses, com reflexo nos seus resultados financeiros, devido a várias acusações de funcionários sobre desigualdade salarial, discriminação e assédio sexual.

A empresa disse que despediu mais de 20 funcionários após as acusações de assédio sexual e discriminação no mês passado, mas, segundo pessoas que trabalham ou trabalharam na produtora, citadas pelo “Wall Street Journal” (WSJ), Kotick é um dos principais responsáveis pelas práticas criminosas e terá protegido alguns colegas da direção executiva.

As denúncias na empresa acabaram por gerar atrasos no lançamento de produtos de alguns dos seus populares videojogos como o World of Warcraft, a franquia Call of Duty, Candy Crush, entre outros. Tudo isto fez com que mais de 1.700 funcionários pedissem a demissão de Kotick, cerca de 17% da força laboral da Activision Blizzard , segundo o “WSJ”.

Mas Bobby Kotick ainda não quer deixar a posição de liderança que ocupou nos últimos 30 anos. O “WSJ” afirma que “Kotick disse aos executivos seniores que consideraria deixar a empresa se não pudesse resolver rapidamente os problemas culturais da gigante dos videojogos”. Cultura é entendida como o conjunto de mudanças para tornar a empresa num lugar seguro para os seus colaboradores. Em julho, a Securities and Exchange Commission (a CMVM dos Estados Unidos) lançou uma investigação sobre a forma como Kotick lidava com “comportamento sexual impróprio”.

Bobby Kotick não é um informático, nem tão pouco programador, mas sim um vendedor muito hábil. Na verdade, ele nem terminou os seus estudos. “Steve Jobs tinha ouvido falar do pacote de software Jane e visitou Kotick and Marks em Ann Arbor [Michigan]. Ele disse que eles estavam a perder tempo nas aulas. Kotick, que estava a estudar história da arte, seguiu os conselhos do fundador da Apple”, disse a jornalista Amy Chozick num artigo publicado em 2012 pelo “The New York Times”.

Em 1990, Kotick encontrou um estúdio de videojogos endividado chamado Mediagenic, criado por quatro programadores descontentes da famosa Atari. Investiu  na empresa, rebatizou-a de Activision e emulou o modelo da Electronic Arts, a grande rival até aos dias de hoje, ao mesmo tempo que ofereceu aos designers informáticos mais autonomia para desenvolverem a sua criatividade.

Ao longo dos anos foi acumulando pequenos estúdios e os resultados começaram a aparecer. Desde logo através da franquia Tony Hawk’s Pro Skater, seguindo-se o Call of Duty – “uma franquia multimilionária e um dos ativos de entretenimento mais lucrativos do mundo”, de acordo com o “The New York Times”.

Os sucessos continuaram com o Guitar Hero, que trocou tipicos comandos por uma guitarra com botôes em vez de cordas e, por fim, o jogo com maior sucesso e o que conseguiu bater todos os recordes em relação ao número de utilizadores por mês, o World of Warcraft, que surgiu após a fusão da Activision com a Blizzard. O sucesso mais recente, que conseguiu agarrar uma franja mais velha da população, e talvez o maior sucesso do ecossistema mobile, a franquia Candy Crush, resultado da aquisição da produtora King Digital Entertainment, em 2016.

Apesar dos recentes escândalos, Kotick ainda dirige uma das maiores empresas de videojogos do mundo, com um valor de mercado de 48 mil milhões de dólares (42 mil milhões de euros), embora o preço das ações já tenha caído 34% desde o início de 2021 – o pior resultado desde 2008. De acordo com dados da Bloomberg, Kotick possui 0,51% do capital social da Activision.

Até 2022, a empresa norte-americana prevê faturar 8,1 mil milhões de euros, 40% a mais que em 2019, segundo as estimativas de analistas da FactSet. Será o maior volume de vendas da sua história. A Electronic Arts, responsável pela criação do FIFA 22 e Battlefield, prevê faturar de 7,2 mil milhões de euros.

Quase três mil milhões de jogadores contribuirão para o mercado global de videojogos em 2021, gerando 156,6 mil milhões de euros, de acordo com a Newzoo, uma empresa de análise de dados no sector dos videojogos e eSports.

Recomendadas

PremiumDiretor-geral da AWS diz que Portugal “está num caminho fantástico”

A empresa de computação na nuvem do grupo Amazon prevê que o investimento de 2,5 mil milhões de euros em Espanha também seja benéfico para o mercado português.

Fundo da CGD pede insolvência pessoal do empresário Alfredo Casimiro

Fundo imobiliário Fundimo, da Caixa Geral de Depósitos, tem 973 mil euros a receber da Urbanos, a empresa de transportes detida por Alfredo Casimiro, que é também o principal acionista da Groundforce.

Lesados do BES em França enviam “mensagem” a futuro Governo

“Estamos aqui neste novo protesto para dizer aos políticos em Portugal que o nosso caso não está resolvido. Isto é uma mensagem no fim de 2021 para o futuro Governo, que vai ser eleito em janeiro, diz Carlos Costa dos Santos, coordenador dos Emigrantes Lesados Unidos (ELU), em declarações à Agência Lusa.
Comentários