‘Fintar’ os ‘tubarões’ e garantir 44,06 milhões no ‘sofá’. Como o desaire do FC Porto ajudou o SL Benfica

Com a eliminação da Liga dos Campeões, os ‘dragões’ deram duas prendas ao rival da Luz: ‘águias’ evitam tubarões e ficam com todo o ‘bolo’ dos direitos televisivos da UEFA.

SL Benfica

Com o desaire no Estádio do Dragão, e a consequente eliminação do FC Porto do ‘playoff’ para a Liga dos Campeões, os dragões deram duas autênticas ‘prendas’ ao rival da Luz.

Com a eliminação da equipa liderada por Sérgio Conceição, e a impossibilidade dos azuis e brancos em seguirem para o ‘play-off’ de apuramento para a ‘Champions’, o SL Benfica garante a entrada no pote 2 do sorteio da fase de grupos da Liga dos Campeões (sendo que o mesmo seria conseguido caso o Ajax fosse eliminado, o que não aconteceu).

Este posicionamento no pote 2, permite à equipa de Bruno Lage evitar equipas com orçamentos respeitáveis como o Real Madrid e Atlético de Madrid. Além dos gigantes de Madrid, as ‘águias’ vão evitar o Borussia Dortmund, o Nápoles, o Tottenham, finalista em 2018/19, e o Shakthar Donetsk.

Assim, o Benfica poderá ter como adversários o Liverpool, campeão europeu, o Chelsea, detentor da Liga Europa, o FC Barcelona, o Manchester City, a Juventus, o Bayern Munique, o Paris Saint-Germain ou o Zenit.

44,06 milhões sem sair do ‘sofá’

Com a eliminação dos ‘dragões’, o Benfica garantiu desde já 44,06 milhões de euros mesmo antes de começar a jogar na Liga dos Campeões. Isto acontece porque, ao nível dos direitos televisivos, a UEFA irá distribuir um total de 292 milhões de euros pelos 32 clubes, em função do valor proporcional dos países. Sendo a única equipa portuguesa, o SL Benfica receberá os 100% de Portugal e, se acompanhado por outra equipa portuguesa, teria de ceder 40% ao FC Porto.

Ler mais
Relacionadas

Arranca hoje a corrida do FC Porto pela Champions de olho em encaixe de 44 milhões

Sérgio Conceição e os seus homens estão a, pelo menos, 360 minutos de distância de poderem engordar a conta bancária dos azuis e brancos de forma generosa. Este encaixe financeiro é visto como fundamental pela SAD portista.

“Brahimi? O FC Porto não perdeu nada de especial”

O que faz com que um jogador como Brahimi escolha jogar no Qatar em vez de continuar na alta roda do futebol europeu? Luís Miguel Henrique e João Marcelino comentaram a opção de carreira do internacional argelino na última edição do Jogo Económico.

PremiumAdrien Bouchet: “Para as ligas serem competitivas, todos os clubes têm de ser fortes”

Adrien Bouchet, antigo senior manager explica ao Jornal Económico o sucesso do modelo desportivo-financeiro na América do Norte, onde a mentalidade e partilha da riqueza entre os clubes são a chave.
Recomendadas

NBA lança-se no mundo das apostas com o serviço NBABet Stream

Com a legalização das apostas desportivas nos EUA em 2018, a NBA torna-se a primeira grande liga desportiva dos EUA a atacar o mercado.

Siza Vieira sobre a possibilidade de adeptos nos estádios: “É mais importante que os jogos se realizem em segurança”

“É mais importante garantirmos a segurança de que as atividades se realizem sem percalços e com limitações do que permitir flexibilidade e depois ter de voltar atrás”, realçou o ministro à margem da conferência sobre o ‘Futebol Profissional e Economia Pós Covid-19’ que decorreu em Oeiras.

Futebol português contribuiu com 549 milhões para o PIB antes da pandemia

Números fazem parte da nova edição ‘Anuário do Futebol Profissional Português’, realizado em parceria entre a Liga Portugal e a EY e cuja apresentação acontece esta quarta-feira na conferência sobre o ‘Futebol Profissional e Economia Pós Covid-19’.
Comentários