PremiumFintech Pagaqui investe nas criptomoedas

Empresa quer continuar próxima dos pequenos retalhistas e está a criar serviços para que os clientes paguem o café com moedas digitais.

O empresário português João Barros admite que as rotinas e as mentalidades estão a avançar ao ponto de os mais jovens hoje considerarem mais seguro ter criptomoedas do que dinheiro físico. Perante esta conceção sobre meios de pagamento, o CEO da fintech Pagaqui decidiu apostar nas moedas digitais através de duas modalidades: um serviço de compra e venda de criptomoedas, em parceria com a startup espanhola Bitnovo (já disponível) e outro que permitirá fazer compras em pequenos estabelecimentos comerciais e que chegará no início do próximo ano.

“Assinámos agora uma parceria para aceitação de bitcoins. Vamos permitir a qualquer pequeno retalhista que, desde um café a um eletrodoméstico, possa ser pago em bitcoins dentro da nossa rede de pagamentos. O contrato está assinado e vai ser operacionalizado durante o mês de janeiro”, disse João Barros, na quinta de seis conversas mensais do ciclo “30’ a 3”, promovido pelo Montepio Crédito e pelo Jornal Económico.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Relacionadas
joão_barros_pagaqui_30_3

Pagaqui vai permitir que clientes paguem o café com bitcoins

“O contrato está assinado e vai ser operacionalizado durante o mês de janeiro”, afirmou João Barros, CEO da empresa portuguesa de pagamentos, no ciclo de conversas “30’ a 3”, promovido pelo Montepio Crédito e pelo Jornal Económico.

Portuguesa Pagaqui lança carteira digital

A aplicação “Qui” pretende facilitar o processo de pagamento de serviços, permitir transferências entre contactos, fazer compras online e levantar dinheiro em ATM.
Recomendadas

Covid-19: ‘Chef’ Vítor Sobral vai “acender uma velinha a Nossa Senhora de Fátima” para pagar salários

O Grupo Quina emprega cerca de 120 funcionários. Dois restaurantes foram encerrados, outros dois estão a funcionar em regime de ‘take away’, assim como as padarias. Vítor Sobral garante salários neste mês de março, mas não sabe como será no mês de abril.

Novo Banco vende “Rei dos Cogumelos” em plena crise

O Novo Banco, maior credor do grupo Sousacamp, com 49% dos créditos, acordou a venda do maior produtor ibérico de cogumelos ao Core Capital.

Covid-19: Kaeser garante assistência a equipamentos de ar comprimido de hospitais e da indústria

Além de cerca de três mil empresas do setor industrial, em Portugal a Kaeser trabalha com hospitais como o Grupo Trofa Saúde, Hospital Santo António, Hospital de Braga, Hospital de Santa Maria, Hospital de Gaia, Hospitais de Coimbra, Hospitais Lusíadas e Fundação Champalimaud.
Comentários