“Foi-nos confiada uma tocha e temos de passá-la para as gerações futuras”

Venceu o Troféu Investimento. A saga da DELABIE iniciou em 1928. Alexandre Anagnostides afirma que foi confiada uma tocha à gestão e família que terão de passar para gerações futuras.

“Foi-nos confiada uma tocha e temos de passá-la para as gerações futuras”. Este leitmotiv tem estimulado a família DELABIE e as suas equipas há mais de 90 anos, refere o gestor do grupo. Quatro gerações de empreendedores e de colaboradores que se sucederam, alimentando a confiança, acumulando a experiência e cultivando a paixão de fazer bem. A empresa tornou-se o número 1 europeu de torneiras e equipamentos sanitários para Estabelecimentos que Recebem Público (ERP) e um player mundial indispensável que exporta para mais de 95 países.

“Devemos o nosso sucesso aos nossos clientes grossistas e instaladores que confiam em nós e, nos ajudam a progredir continuamente, bem como aos prescritores e empreiteiros que nos honram com as suas escolhas. E é com um profundo sentimento de agradecimento e, especialmente a todos os que nos apoiaram e acreditaram neste projeto de origem familiar, mesmo quando não éramos reconhecidos, diz fonte oficial.

As boas relações luso-franceses tiveram o seu início muito antes da primeira aquisição do grupo em Portugal. O relacionamento com Portugal e a sua ligação com fornecedores da indústria, quer no setor da fundição, polimento, entre outros, permitiu-nos ter a confiança e manter nos dias de hoje, esses contactos.

A proximidade entre os dois países, quer na cultura quer na semelhança das mentalidades, na procura da exigência na qualidade dos componentes que fazem parte dos nossos produtos, fez com que se tornasse uma realidade manter a relação e torná-la sólida.

“É com muito orgulho que recebemos este troféu. Vem fortalecer ainda mais as relações entre os dois países e, é o reconhecimento de um trabalho de equipa que nos leva a acreditar que temos de continuar a investir, tanto em recursos humanos como em tecnologia, para que os dois países sejam reconhecidos pelo seu esforço e empenho contínuo. Queremos continuar a fazer história e continuar a ter como parceira a Câmara de Comércio e Indústria Luso-Francesa, à qual devemos o nosso reconhecimento como empresa investidora em Portugal, com a atribuição do Troféu de Investimento na 26.ª edição dos Troféus Luso Franceses”, avança Miguel Mateus, responsável comercial do grupo Delabie e que recebeu o prémio.

Por seu lado o gestor realça o “design de produto sustentável e responsável, poupança de água e energia, antecipação de adaptação às normas de higiene, é uma verdadeira cultura corporativa que permite que a empresa no seu dia-a-dia acompanhe os locais públicos e espaços comerciais, estabelecimentos hospitalares e de cuidados de saúde, enfrentando os seus novos desafios. Acrescenta amesma fonte que O facto de sermos um fabricante experiente, como empresa industrial desde o seu início, a DELABIE tem mantido o controlo total da produção dos seus produtos ao longo do tempo.

Atualmente, as equipas da DELABIE dominam mais de trinta setores de especialização, desde o processo de fundição até ao desenvolvimento de células termostáticas, incluindo microbiologia e até eletrónica. Esta experiência única, permite à empresa inovar constantemente e adaptar os seus produtos às necessidades dos seus mercados”. Todos os anos a DELABIE investe significativamente em I&D, assim como no seu processo industrial. O objetivo é oferecer aos clientes soluções cada vez mais inovadoras, através de tecnologia exclusiva e de confiança.

Todos os produtos DELABIE são de qualidade controlada em todas as fases de produção e, são constantemente submetidos a testes rigorosos e exaustivos. O que permite garantir uma excelente qualidade de todos os produtos quando estes saem das fábricas do Grupo. O controlo total do processo de produção, garante que os tempos de entrega sejam reduzidos ao mínimo.

Sobre especializações das unidades fabris diz que a fundição em Braga (criada em 2012), é especializada na fundição de peças em latão que nos permite o fabrico de torneiras em diferentes tipos de liga, de acordo com as exigências dos diferentes países para onde exportamos, como é o caso da Austrália ou Nova Zelândia, por exemplo. Acrescenta: “Recentemente, adicionamos a atividade de polimento robotizado (robot italiano), para fazer face à falta de mão de obra qualificada e, iniciámos a produção do corpo das torneiras com máquinas de comando numérico de origem japonesa, que nos permite garantir uma grande precisão no acabamento da sua superfície. A unidade fabril de Aveiro, especializada no fabrico de equipamentos sanitários em aço inoxidável de diferentes tipos de liga, dá-nos a capacidade de resposta às exigências dos nossos clientes”. A nova linha de produção que teve início este ano, diz respeito à produção de barras de apoio em aço inoxidável para pessoas com mobilidade reduzida, barras de duche e barras rebatíveis para sanitas. Equipada com máquinas de dobragem com comando numérico e máquina de polimento com sistema planetário, que garantem uma superfície constante, com um acabamento homogéneo. Fi adquirida também uma máquina automática de soldar planetária que completa esta linha de produção.

Diz o gestor que “nos dias de hoje, o espaço “casa de banho”, nomeadamente os espaços sanitários de utilização pública que se encontram nos estabelecimentos que recebem público (ERP), já não estão conotados como um espaço desagradável, com maus odores, onde ninguém queira ir. Houve mudanças radicais no seu aspeto e cuidados redobrados na sua apresentação e equipamentos utilizados. O utilizador espera mais conforto, mais higiene, espera soluções cada vez mais aproximadas da casa de banho doméstica. A DELABIE tenta reunir uma panóplia de soluções que possam dar resposta às solicitações do mercado, nomeadamente, soluções antivandalismo, produtos que apresentem níveis de poupança de água e de energia elevados, facilidade de instalação, manutenção e limpeza, higiene, acessibilidade, … sem esquecer o conforto e segurança do utilizador, que passa pelo desenvolvimentos de torneiras, equipamentos sanitários, barras e acessórios com um design atrativo e mais moderno, que satisfaça todos os intervenientes no processo, desde a sua prescrição até ao utilizador final”.

Reforça que “ inovação na produção é uma necessidade para nos mantermos competitivos perante a concorrência internacional e, como consequência para a conquista de novos mercados. A DELABIE exporta atualmente para mais de 95 países, incluindo o Sudoeste Asiático e América Latina. As necessidades existentes em locais tão particulares, como são os locais públicos e de elevada frequência, passam pelo fornecimento de equipamentos que ofereçam higiene, facilidade de manutenção e antivandalismo, todas elas características que estão presentes nos nossos produtos. O nosso gabinete técnico de Aveiro, em consonância com o gabinete técnico em Friville (França), procura constantemente soluções para facilitar as operações de produção, em cada etapa do fabrico, mas também para facilitar a instalação dos nossos produtos nos espaços. Damos também especial atenção à necessidade de manutenção reduzida, bem como à desmontagem facilitada no seu fim de vida, para permitir a fácil renovação e substituição dos seus diferentes componentes, sempre que necessário”. Realça que “a robotização permite enfrentar as diferentes necessidades de encomendas, como por exemplo, receber encomendas em simultâneo de equipamentos para 3 estádios de futebol para a Polónia, 2 para os Camarões, etc.,..prisões no Reino Unido, Bélgica e Alemanha. Para dar resposta a estas solicitações, basta aumentar o número de horas dos robots, ao passo que, se o processo de soldadura e polimento industrial fosse manual, seria difícil e quase impossível, mesmo com mão de obra qualificada.

Por outro lado, o robot não apresenta sinais de fadiga (apenas uma manutenção adequada e regular), o que permite uma cadência na produção e qualidade no trabalho constantes.

A vantagem na utilização da robotização, passa também por aumentar o nível de qualificação dos parâmetros de produção. Os nossos colaboradores tornam-se mais responsáveis pelo manuseamento das máquinas, cujo investimento atinge algumas centenas de milhares de euro, logo, valorizando a sua responsabilidade e confiança no desempenho das suas funções.

O trabalho manual efetuado em algumas máquinas convencionais, continua a ser indispensável para algum tipo de equipamentos, mas também para algumas questões em particular, de acordo com as solicitações. A robotização é a única via de acesso aos grandes mercados de exportação e, consequentemente, à continuidade e permanência das empresas nos mercados onde estão presentes”.

Por outro lado “as boas relações luso-francesas tiveram o seu início muito antes da primeira aquisição do Grupo em Portugal. O relacionamento com Portugal e a sua ligação com fornecedores da indústria, quer no setor da fundição, polimento, entre outros, permitiu-nos ter essa confiança e manter-nos alerta e sempre atentos na procura da exigência na qualidade dos componentes que fazem parte dos nossos produtos. Esta proximidade tornou-se uma realidade ainda mais evidente, quando um dos fornecedores em determinado momento, após se ter deparado com um problema de fornecimento por questões alheias, levou à necessidade de se tomar uma decisão.

A Direção Técnica do Grupo em França concluiu que para dar resposta às suas necessidades de técnicos especializados do setor, com o know-how pretendido, teria como solução criar em Portugal uma empresa que lhe desse essa resposta, pois em França essas competências não existiam.

Esta solução permitiu-nos integrar os colaboradores qualificados do fornecedor que se encontrava numa situação menos favorável e, dar-lhes a oportunidade de fazer parte da nova empresa do Grupo em Braga…. E assim nasceu a Fundição – DELABIE, Lda., no ano de 2012. A partir desta altura, a DELABIE fez novos investimentos em formação e aquisição de maquinaria especializada, para permitir um melhor desempenho e performance no fabrico dos seus componentes na fundição. Desde a sua origem, que a empresa elevou o seu número de colaboradores de 6 para 14 até ao dia de hoje e, no decorrer deste ano (2019), fez um novo investimento ao acrescentar duas linhas de produção, maquinação e polimento que vieram complementar todo o processo, com um investimento total de 325.000€.

A aquisição da KUHFUSS SANITÄR, segundo maior player de equipamento sanitário em aço inoxidável na Alemanha, pelo Grupo DELABIE em 2012, fez com que pretendesse manter o seu posicionamento neste mercado. Para tal, só seria possível se o Grupo tivesse a oportunidade de vislumbrar um negócio que lhe permitisse alargar a sua oferta, uma vez que não tinha capacidade de produção de sanitários em aço inoxidável. A solução foi procurar o conhecimento e capacidade produtiva, junto daquele que era o maior fornecedor da empresa alemã, a SENDA, S.A, sediada em Aveiro, reconhecida como sendo o único fabricante de sanitários em aço inoxidável em Portugal”.

Por último, confrontados com os novos desafios ambientais e económicos, “as empresas desempenham um papel ativo e, ainda mais, quando os seus produtos podem causar diretamente impacto no consumo de água ou de energia.

Há 90 anos, que controlar o consumo de água e energia em prol de uma lógica de desenvolvimento sustentável preservando os recursos naturais, tem sido um grande desafio para a DELABIE.

A empresa coloca assim questões ecológicas no cerne do seu pensamento e oferece produtos com design, mas também responsáveis e sustentáveis para os locais públicos.

Como sabemos, nos locais públicos os espaços sanitários são particularmente locais com um elevado consumo de água.

Pioneira na economia ecológica, a marca desenvolveu uma política de acompanhamento aos seus clientes e um sistema inovador de torneiras temporizadas, cujo desempenho em termos de economia de energia e água, excede em muito os critérios das eco certificações como a HQE, a LEED, ou a BREEAM.

O compromisso da DELABIE com uma abordagem responsável e sustentável, traduz-se em equipar todas as suas torneiras de lavatório com um débito reduzido a 3 l/min (que pode ser até 1,5 l/min), contra os 6 a 12 l/min das torneiras domésticas concorrentes.

Para limitar o consumo excessivo de água, a DELABIE propõe um sistema que faz com que a água feche entre o ensaboar e o enxaguar das mãos. Batizado de «fracionamento de débito», a inovação permite a paragem automática da água durante o ensaboar e volta a ligar de seguida para enxaguar (7 segundos). O fecho da água é automático e natural, graças a uma gestão inteligente da pressão da água, permitindo assim reduzir o desperdício de energia”.

E sobre o futuro o gestor realça que o grupo com um forte desenvolvimento nos últimos 15 anos, “continua a sua política de crescimento internacional através da abertura de filiais ou aquisições de empresas que lhe permitem ampliar a sua oferta.

Ler mais
Recomendadas

Lucros da banca sobem 133% em 29 anos, já o crédito a clientes subiu 862%

Desde 1990, verificou-se um aumento de concentração do sistema bancário português. Ao longo do período para o qual existe informação comparável, Portugal apresenta um nível de concentração superior ao da área do euro, o que poderá ser explicado pelo facto dos países mais pequenos tenderem a ter níveis de concentração mais elevados, explica o BdP.

Moody’s atribui ‘rating’ B2 com ‘outlook’ estável à TAP e ao empréstimo obrigacionista

Depois da Standard & Poor’s, é a vez da Moody’s iniciar a análise de ‘rating’ da companhia aérea nacional.

Moody’s atribui à dívida da TAP quinto nível de “lixo”

A agência de notação financeira norte-americana atribuiu o ‘rating’ “B2” à emissão de obrigações anunciada ontem.
Comentários