Fosso salarial entre homens e mulheres em Portugal agravou-se e mais de um terço entre 2011 e 2016

De 2015 para 2016 o fosso estreitou-se em 0,3 pontos percentuais, para 17,5%. Isto quer dizer que as mulheres em Portugal ganham, em média, 83 cêntimos por cada euro que os homens ganham por hora.

O fosso salarial entre homens e mulheres em Portugal aumentou 35%, entre 2011 e 2016, para 17,5%, segundo os dados divulgados esta quarta-feira pelo Eurostat, mas desceu em 2016, face ao ano anterior.

Isto quer dizer que as mulheres em Portugal ganham, em média, 83 cêntimos por cada euro que os homens ganham por hora.

Portugal é um dos 10 Estados-membros em que a disparidade salarial de género subiu no período em análise, sendo seguido de perto pela Eslovénia, onde se registou uma subida de 4,5 pontos percentuais, para 7,8%, o que representa quase mais do que uma duplicação da taxa.

O fosso salarial entre homens e mulheres em Portugal era de 12,9% em 2011, ano em que Portugal foi obrigado a pedir ajuda externa, tendo aumentado 4,9 pontos percentuais, para 17,8%, em 2015, o ano a seguir ao final do programa de assistência internacional.

De 2015 para 2016 o fosso estreitou-se em 0,3 pontos percentuais, para 17,5%.

Na União Europeia (UE), o fosso salarial reduziu-se em 0,6 pontos percentuais, entre 2011 e 2016, para 16,2%.

Esta evolução é explicada pelas reduções verificadas na Roménia (menos 4,4 pontos percentuais), Hungria (4 pontos percentuais), Espanha e Áustria (ambas com menos 3,4 pontos percentuais), Bélgica (3,3 pontos percentuais) e a Holanda (menos 3 pontos percentuais).

A nível europeu, segundo os dados do Eurostat, os Estados-Membros com maior diferença de remuneração entre homens e mulheres em 2016 foram a Estónia (25,3%), a República Checa (21,8%), a Alemanha (21,5%), o Reino Unido (21,%) e a Áustria (20,1%).

Roménia (5,2%), Itália (5,3%), Luxemburgo (5,5%), Bélgica (6,1%), Polónia (7,2%), Eslovénia (7,8%) e Croácia (8,7%) foram os países que ficaram abaixo dos 10%.

 

Relacionadas

Portugal continua com níveis de desigualdade bastante elevados à escala europeia

O retrato social de Portugal nos últimos 10 anos é traçado no livro “Desigualdades Sociais, Portugal e a Europa”
Recomendadas

Excedente da Segurança Social sobe para 587 milhões em junho

Em comunicado, o Governo realça que “o saldo global do subsetor da Segurança Social atingiu em junho um saldo de 587,1 milhões de euros”.

OE2021: Pandemia custou 4.188 milhões de euros ao Estado até junho

A pandemia de covid-19 custou ao Estado 4.188,8 milhões de euros até junho, 384,1 milhões de euros dos quais por redução da receita e 3.804,7 milhões de euros pelo aumento da despesa total, divulgou hoje a Direção-Geral do Orçamento (DGO).

Apoios às empresas atingem 1.933 milhões de euros até junho

Os apoios às empresas atingiram os 1.933 milhões de euros no primeiro semestre, acima da execução global de 2020, segundo dados hoje divulgados pelo Ministério das Finanças.
Comentários