Franceses da Corum sugerem investir no imobiliário em Portugal

A sociedade gestora de poupanças inaugurou no ano passado o seu escritório em Portugal, país onde já investiu 60 milhões de euros desde 2014.

Cristina Bernardo

A Corum lançou uma campanha para promover os seus fundos de investimento imobiliário em Portugal. Sob o lema ‘Reembolso de IRS para que te quero’, a sociedade gestora de poupanças “desafia os consumidores a darem um
‘pequeno passo’ e a investirem o dinheiro que recebem numa solução de longo prazo que lhes permita constituir património”, indica em comunicado.

A empresa cuja atividade é dedicada à compra de imóveis comerciais para futuro arrendamento por intermédio dos seus dois fundos de investimento que, no ano passado, renderam mais de 6%. José Gavino, Diretor da Corum em Portugal, explica que “o imobiliário é sempre um investimento menos volátil que o mercado acionista para os investidores e mais ainda em tempos de turbulência”.

A Corum conta com uma carteira de ativos acima dos 3,6 mil milhões de euros, tem escritórios em sete países e mais de 130 colaboradores. No ano passado, a gestora francesa inaugurou o seu escritório em Portugal, país onde já investiu 60 milhões de euros desde 2014.

“Em Portugal não há a tradição de investir em fundos imobiliários, especialmente como forma de construir património no longo prazo. Queremos desmistificar esta ideia de que os fundos são complicados”, refere José Gavino.

Recomendadas

“É quase-tóxico”: Registos de Alojamento Local caíram para mínimos de 2014

Em abril foram registadas 189 unidades face às 1.750 do período homólogo do ano anterior. “Quem apostou no AL procura agora alternativas, como a venda de ativos ou a sua colocação no mercado de arrendamento de longa duração”, diz CEO da Imovendo.

Candidaturas ao Porta 65 encerram esta segunda-feira

O programa de apoio financeiro ao arrendamento jovem apoia cidadãos entre os 18 e os 35 anos, que arrendem casa para habitação permanente.

Vendas de alojamentos em Lisboa e no Algarve cederam 2,1% e 0,9% em março

No mês em causa, no país foram vendidos cerca de seis alojamentos por cada mil alojamentos familiares clássicos, valor que compara com os 6,15 de março de 2019 e com 6,6 de fevereiro de 2020, segundo um destaque do INE hoje divulgado.
Comentários