Funchal agrega serviços em aplicação para dispositivos móveis

A aplicação vai permitir brevemente a candidatura a todos os programas sociais do município.

Os munícipes do Funchal passam a ter acesso a vários serviços da autarquia a partir de um dispositivo móvel. A aplicação foi apresentada esta quarta-feira, num projeto que recorreu a financiamento do Civitas Destinations, um programa europeu que apoia soluções urbanas inovadoras.

“Isto engloba, entre outros, os condicionamentos ao trânsito, derrames de água, informações urgentes da área da Proteção Civil, circuitos de recolha de resíduos sólidos urbanos, horários de autocarros, leituras da água, em suma, toda a dinâmica da cidade pode agora ser consultada em tempo real nesta aplicação, ao que se soma o reporte de ocorrências à Câmara, uma vez que a plataforma Funchal Alerta foi também adaptada e incluída nesta nova aplicação”, explicou Miguel Gouveia, durante a apresentação desta aplicação, que decorreu durante a Semana Europeia da Mobilidade.

Miguel Gouveia disse ainda que brevemente será possível através da aplicação realizar candidaturas a todos os programas sociais do Município.

Esta ferramenta também servirá de suporte ao CIGMA – Centro Integrado de Gestão Municipal de Acontecimentos, um sistema que vai permitir fazer a gestão em tempo real de todos os acontecimentos no espaço público.

Recomendadas

Investigador da UMa integra estudo europeu sobre agricultura sustentável

O estudo avaliou a importância das Estruturas de Foco Ecológico (EFA) na Agricultura Sustentável e na Conservação dos Polinizadores.

Madeira: PS pede incentivos para rentabilização e limpeza de terrenos florestais

Os socialistas defendem que a prevenção contra incêndios florestais passa por “criar e manter” condições nos terrenos baldios e florestais públicos e privados que evitem a ignição e a rápida propagação de fogos que colocam em risco produções agrícolas e habitações.

Madeira: PSD apresenta voto de protesto contra suspensão de voos entre Portugal e Venezuela

O voto de protesto pede aos países que reconhecem Juan Guaidó como presidente da Venezuela que tomem “posições e estratégias claras” contra o regime de Nicolas Maduro. Os sociais democratas pedem que Portugal seja “mais ativo” na luta contra a ditadura da Venezuela.
Comentários