Funchal: Coligação Confiança quer tornar Funchal na Capital Europeia da Cultura 2027

“Com a submissão desta candidatura, no início do próximo mandato, o Funchal irá assumir o papel de porta-voz da ultraperiferia europeia, com o apoio de uma vasta rede de municípios a nível regional, nacional e internacional, e com uma forte parceria com os agentes culturais”, destacou o candidato.

A candidatura da Coligação Confiança à Câmara Municipal do Funchal visitou o Teatro Municipal Baltazar Dias, sede da Divisão Municipal de Cultura e Turismo, numa ação de campanha onde o candidato à Presidência da CMF, Miguel Silva Gouveia, assumiu o desígnio de tornar o Funchal na Capital Europeia da Cultura 2027.

“Atualmente o Funchal tem uma programação de referência a nível nacional, e aquilo que nos propomos no próximo mandato é, desde logo, dar continuidade à dinamização desta agenda cultural, promovendo cada vez mais descentralização de eventos e aprofundando a democratização no acesso à cultura, algo que também tem sido nossa imagem de marca, à luz de um desígnio maior, que nos deve orientar na próxima década, que é a candidatura do Funchal a Capital Europeia da Cultura 2027”, realçou.

“Com a submissão desta candidatura, no início do próximo mandato, o Funchal irá assumir o papel de porta-voz da ultraperiferia europeia, com o apoio de uma vasta rede de municípios a nível regional, nacional e internacional, e com uma forte parceria com os agentes culturais”, destacou o candidato.

Miguel Silva Gouveia recordou que a Câmara do Funchal aprovou este ano um Plano Estratégico Municipal para a Cultura 2021-2031, que resultou “de um extenso mapeamento cultural do concelho a vários níveis, englobando associações, artistas, agentes culturais, indústrias culturais e criativas, num abrangente estudo de públicos, sendo que a aprovação deste documento foi um dos requisitos para a candidatura da cidade a Capital Europeia da Cultura em 2027.

O cabeça-de-lista da Coligação Confiança realça que “o Plano Estratégico para a Cultura do Funchal foi um marco histórico no desenvolvimento cultural da cidade, por ser o primeiro a ser elaborado por uma instituição pública na Madeira e por ser um dos mais participados em Portugal. Desta forma, o Funchal posiciona-se como uma cidade com visão, pensamento próprio e dinâmica, capaz de assentar as suas políticas em planeamento estratégico e mecanismos de participação”.

O candidato refere que este documento, que reúne os eixos e os objetivos do Município a médio e longo prazo, vai servir de guião a todas as políticas na área cultural no próximo mandato.

O atual autarca abordou, por fim, outro projeto cultural que vai marcar o próximo mandato, nomeadamente “a abertura ao público, sob gestão municipal, do complexo de criatividade, cultura e empreendedorismo no antigo Matadouro Municipal, que criará uma nova centralidade na cidade, e colocará o Funchal na vanguarda dos melhores equipamentos culturais a nível europeu”.

Este projeto de reabilitação compreende, entre outros, uma incubadora de microempresas de indústrias criativas, um espaço de performance artística com uma audiência até 300 pessoas, um centro de exposições, e ateliers de restauro e design de equipamentos, num investimento cofinanciado pelo Turismo de Portugal, que ascende aos quatro milhões de euros e tem data de conclusão prevista para o início de 2022.

Recomendadas

Carlos Moedas toma posse como presidente da Câmara Municipal de Lisboa. Veja em direto

O antigo comissário europeu sucede a Fernando Medina na liderança da Câmara Municipal de Lisboa. Veja a tomada de posse em direto.

PremiumUnião fez a força para o centro-direita retirar câmaras aos socialistas

Coligações lideradas pelos sociais-democratas conquistaram mais 20 autarquias sem perder nenhuma. PSD isolado teve saldo nulo com PS.

PremiumEleições geram meia centena de imbróglios autárquicos

Porto e Sintra juntam-se às câmaras em que os vencedores estão em minoria na vereação e na assembleia municipal. Mais complicada que Lisboa talvez só mesmo Évora, e número de executivos minorítários disparou em relação a 2017.
Comentários