Funchal lança campanha “Mercado Sustentável”

Miguel Silva Gouveia distribuiu sacos de papel pelos comerciantes dos mercados municipais numa ação de sensibilização para a redução do plástico descartável que pretende ser um dos contributos do Município para a redução da pegada ecológica do Funchal.

O Presidente da Câmara Municipal do Funchal, Miguel Silva Gouveia, apresentou, esta quarta-feira, no Mercado dos Lavradores, o projeto “Mercado Sustentável”, a primeira de várias iniciativas da promoção do comércio sustentável com o objetivo de sensibilizar para a eliminação progressiva do consumo de plástico. O lançamento da campanha estendeu-se ainda ao Mercado da Penteada culminando com a comemoração do seu 32.º aniversário.

Miguel Silva Gouveia distribuiu sacos de papel pelos comerciantes dos mercados municipais numa ação de sensibilização para a redução do plástico descartável que pretende ser um dos contributos do Município para a redução da pegada ecológica do Funchal. O Presidente explicou, na ocasião, que o grande objetivo é tornar os equipamentos, os serviços e a atividade económica mais eficientes e mais sustentáveis.

“Esta é uma medida integrada da estratégia de sustentabilidade para os mercados municipais para os próximos dois anos, alicerçada em três eixos, económico, ambiental e social”, salientou.

No que diz respeito à sustentabilidade económica, o autarca vincou que “já têm sido implementadas um conjunto de iniciativas e medidas que preveem a redução dos consumos energéticos como a substituição de lâmpadas tradicionais por leds, que têm permitido uma redução nos consumos globais nos Mercado dos Lavradores de cerca de 8%, também a instalação de equipamentos que permitam compensar a energia reativa e que têm um reflexo direto na fatura de eletricidade, e ainda a poupança nos consumos de água através de equipamentos mais eficientes”.

O eixo da sustentabilidade ambiental cumpre-se aliado a outros compromissos de gestão municipal como a Estratégia Municipal de Combate ao Plástico, Pacto dos Autarcas, Adaptação ás Alterações Climáticas e a Promoção do Comércio Sustentável.

“É nesse sentido que distribuímos um conjunto de sacos de papel, vincando a nossa intenção de reduzir o consumo de plástico substituindo-o por alternativas mais ecológicas como o papel e os sacos de pano. Por outro lado, a estratégia contempla também a parte social, onde reunimos esforços no combate ao desperdício alimentar, na linha nossa subscrição ao Pacto de Milão, procurando reutilizar todos os géneros alimentícios que eventualmente não sejam escoados pelo comércio”, frisou o governante.

Miguel Silva Gouveia lembrou ainda que os resultados da auditoria energética realizada ao Mercado dos Lavradores já foram convertidos na reabilitação que está neste momento a ser projetada e que ascende a 300 mil euros, cofinanciada pelo Turismo de Portugal e que irá compreender a substituição de redes elétricas, redes de água e esgotos, procurando tornar o mercado num espaço mais eficiente e mais amigo do ambiente.

Ler mais
Recomendadas

Madeira: CDS preocupado com redução do Fundo das Pensões no OE2021

António Lopes da Fonseca frisou que estavam previstos 32 mil milhões de euros para este Fundo em 2040. “Com esta retirada de quase 16 mil  milhões de euros, estima-se que, nessa data, existam apenas 16 mil milhões, cerca de metade”, frisou, destacando que muitas pessoas daqui a 20 anos poderão nem ter as suas reformas.

Governo da Madeira adjudicou empréstimo de 458 milhões de euros sem aval do Estado

A Região Autónoma da Madeira foi autorizada em sede de Orçamento Suplementar do Estado a contrair um empréstimo até 10% do PIB regional de 2018 – 495 milhões de euros – para fazer face à crise provocada pela pandemia.

Securitas vai despedir 82 trabalhadores dos aeroportos de Lisboa e da Madeira

A Securitas-Transport Aviation Security informou os trabalhadores em causa da “intenção de proceder ao despedimento coletivo” e justificou o processo com a “necessidade objetiva da redução de pessoal por motivos de mercado e estruturais”.
Comentários