Funchal recebe 17% das verbas do plano de investimentos da Madeira

O Funchal terá menos 42 milhões de euros no âmbito do plano de investimentos da Madeira.

O Funchal vai receber 92 milhões de euros, dos 548 milhões de euros, ou 17%, que serão alocados para o Programa e Plano de Investimento e Despesas de Desenvolvimento da Região autónoma da Madeira (PIDDAR).

Depois do Funchal aparece a Calheta, com 35 milhões de euros, e Santana com 22 milhões de euros.

A Ribeira Brava vai receber 16 milhões de euros, Câmara de Lobos e Ponta do Sol (oito milhões de euros), Porto Moniz e Machico (três milhões de euros), Porto Santo (seis milhões de euros), Santa cruz e São Vicente (dois milhões de euros).

Para o estrangeiro o Governo Regional vai alocar uma verba de um milhão de euros.

Em comparação com o PIDDAR do ano anterior o Funchal perde 42 milhões de euros, e desce o seu peso de 19% para 17%. A Calheta, Câmara de Lobos, Santana, e o estrangeiro têm um reforço de verbas enquanto que Machico, Ponta do Sol, Porto Moniz, Porto Santo, Ribeira Brava, Santa Cruz, São Vicente terão menos verbas disponíveis ao abrigo do PIDDAR.

Recomendadas

Madeira está a preparar-se para eventual surto de coronavírus, garante Iasaúde

O presidente do Iasaude diz que a Madeira vai “criar condições nos diferentes setores”, mas que continua a achar que, neste momento, “a probabilidade é muito reduzida de ter um surto na região”.

Madeira: Sidraria do Santo da Serra inaugurada amanhã

Oportunamente, o projeto será complementado com uma Sidraria Central, a instalar na ex-Biofábrica, na Camacha, que, para além de conferir o necessário apoio laboratorial às sidrarias locais, vai dispor de equipamento mais evoluído para produzir sidras naturais mais elaboradas (método “charmat” para sidra gaseificada e método “champanhês” para produzir sidra espumante).

Mercados do Município do Funchal acolhem quatro novos colaboradores

Este ano comemora-se o 80.º aniversário do Mercado dos Lavradores, pelo que o Presidente da Câmara lembrou a requalificação deste espaço, com a beneficiação da Praça do Peixe e a recuperação das redes de eletricidade e de saneamento básico do edifício.
Comentários