Fundador da Amazon cria fundo de dois mil milhões de dólares para ajudar sem abrigo

O fundador da Amazon em conjunto com a sua mulher pretendem também criar com este fundo uma rede pré-escolar sem fins lucrativos em comunidades mais carenciadas.

Joshua Roberts / Reuters

O fundador da Amazon, Jeff Bezos, e a sua mulher MacKenzie Bezos criaram um fundo no valor de dois mil milhões de dólares (cerca de 1,7 mil milhões de euros) para ajudar os sem abrigo e também uma rede pré-escolar sem fins lucrativos em comunidades mais carenciadas.

O ‘Bezos Day One Fund‘ vai focar-se em duas iniciativas, anunciou o multimilionário numa publicação na rede social Twitter. A primeira visa financiar organizações sem fins lucrativos existentes e distribuir prémios anuais para organizações que realizam trabalhos para responder às necessidades imediatas de jovens famílias e apoiá-las.

O segundo pretende criar uma rede pré-escolar. A declaração de visão do fundo vem da organização sem fins lucrativos Mary’s Place, em Seattle, sob o lema ‘nenhuma criança dorme fora de casa. “Usaremos o mesmo conjunto de princípios que impulsionaram a Amazon. O mais importante entre eles será a genuína e intensa obsessão do cliente. A criança será o cliente”, escreveu Jeff Bezos.

Recomendadas

Exportações tombam 15,4% este ano e crescem 8,4% em 2021, segundo o Governo

A resolução do Conselho de Ministros que aprova o Programa de Estabilização Económica e Social foi publicada no sábado à noite no suplemento do Diário da República e inclui as previsões do Governo para 2020 e 2021 que não tinham sido apresentadas por António Costa.

Governo estima inflação com recuo de 0,2% em 2020 e aumento de 0,4% em 2021

A resolução do Conselho de Ministros que aprova o Programa de Estabilização Económica e Social foi publicada no sábado à noite no suplemento do Diário da República.

Economia cai 6,9% este ano, mas começa a recuperar em 2021, diz Governo

Estas previsões constam do cenário macroeconómico que integra o Programa de Estabilização Económica e Financeira, que não tinha sido divulgado pelo Primeiro-ministro, António Costa quando apresentou o programa. A resolução do Conselho de Ministros foi publicada este sábado à noite no suplemento do Diário da República.
Comentários