Fundo Ambiental vai aplicar um milhão de euros na adaptação às alterações climáticas

Proteção ao litoral, na recuperação de solos e na reabilitação da rede hidrográfica são algumas das áreas em que o Fundo Ambiental poderá conceder apoio financeiro.

O Fundo Ambiental vai apoiar em um milhão de euros diversos projetos de adaptação às alterações climáticas.

Foi publicado hoje, sexta-feira, dia 1 de agosto, em Diário da República, o Plano Nacional de Ação para Adaptação às Alterações Climáticas (P-3AC).

Segundo um comunicado do Ministério do Ambiente e da Transição Energética (MATE), “o plano é focado na identificação de medidas concretas de adaptação às alterações climáticas em Portugal – por exemplo, na proteção ao litoral, na recuperação de solos e na reabilitação da rede hidrográfica”.

“Para impulsionar a concretização deste plano, o Fundo Ambiental lança hoje o aviso Adaptar o Território às Alterações Climáticas – concretizar o P-3AC, com uma dotação de um milhão de euros”, adianta o referido comunicado.

Segundo o MATE, “o aviso destina-se a apoiar medidas de adaptação, promovidas por municípios ou entidades públicas, que visem a redução ou minimização dos riscos associados a fenómenos de cheias e de inundações e o aumento da resiliência dos ecossistemas às alterações climáticas”.

Estes projetos serão comparticipados pelo Fundo ambiental em 85%, até um máximo de 200 mil euros por operação.

As candidaturas podem ser submetidas até 30 de setembro de 2019.

“O Fundo Ambiental apoia políticas ambientais para a prossecução de objetivos do desenvolvimento sustentável, designadamente projetos na área da adaptação às alterações climáticas”, conclui o comunicado do Ministério do Ambiente.

Ler mais
Recomendadas

Cheias no Mondego: Ambiente estranha declarações do presidente da CAP sobre cheias no Mondego

Presidente da CAP disse que se não chover mais, vai faltar água no Mondego no próximo verão. Ministério liderado por João Pedro Matos Fernandes reage, dizendo que baixo caudal é intencional para garantir a segurança das pessoas.

Projeto para devolver garrafas de plástico nos supermercados deverá arrancar no primeiro trimestre de 2020

Segundo os promotores, este é um projeto muito importante para preparar a implementação do futuro sistema de depósito de embalagens de bebidas em plástico, vidro, metais ferrosos e alumínio, que deverá suceder ao sistema de incentivo a partir de 1 de janeiro de 2022.

Concentração de gases CO2 deverá atingir novo máximo devido aos incêndios na Austrália

A concentração de dióxido de carbono deverá atingir um pico acima de 417 partes por milhão em maio deste ano, enquanto a média do ano deverá rondar os de 414 ppm, até quase 3 ppm acima da média do ano passado, denuncia o Met Office no Reino Unido.
Comentários