Fundo de Garantia Europeu acelera acesso ao financiamento

O FGE aprovou cerca de metade do financiamento previsto para 2021 destinado às PME, às empresas de média capitalização e ao setor público. Tem um montante de mais de 24 mil milhões de euros.

O Fundo de Garantia Europeu (FGE) no montante de 24.400 milhões de euros, que faz parte de um primeiro pacote de recuperação da Covid-19 aprovado pela UE para 2021, está prestes a atingir metade da meta: 11.700 milhões de financiamento de apoio às empresas em toda a União, num total de financiamento aprovado que deverá mobilizar perto de 94 mil milhões.

O FGE, integrado no pacote de 540 mil milhões de euros de apoio à recuperação acordado pela UE em 2020, já aprovou quase metade do financiamento previsto para 2021. “Após a autorização ao abrigo do processo de notificação de auxílios estatais da UE, em dezembro de 2020, a iniciativa aprovou até agora 11.700 milhões de apoio às empresas europeias que se debatem com as consequências económicas da pandemia”, refere comunicado do Banco Europeu de Investimento (BEI).

O fundo mobiliza financiamento adicional, “prevendo-se que as iniciativas financiadas até à data permitam captar 93.900 milhões de financiamentos. “Graças à assinatura de um financiamento de 2.100 milhões de euros, no final de abril, as verbas do FGE estão já a chegar a empresas de toda a União Europeia”.

“O Grupo BEI foi das primeiras instituições europeias a assegurar que a Europa ajudaria as empresas e os cidadãos a enfrentar as consequências económicas da crise de Covid-19. O nosso principal objetivo com o FGE consiste em apoiar as empresas da UE e conceder-lhes o financiamento de que necessitam para sobreviver à pandemia”, afirmou, citado pelo comunicado, o presidente do BEI, Werner Hoyer.

“Os montantes em causa demonstram que a resposta da Europa está a produzir um impacto real em tempo recorde. Esta ajuda vem somar-se ao historial do Grupo BEI no financiamento da investigação e do desenvolvimento dos tratamentos e das vacinas que hoje nos mostram a luz ao fundo do túnel da Covid”, acrescentou.

Com contratos assinados em quase todos os países participantes da União, “incluindo operações significativas com os bancos Nordea, Raiffeisen e Banca March, o FGE está no bom caminho para mobilizar até oito vezes o seu volume de 24.400 milhões até ao final de 2021. Existe uma forte procura por financiamento do FGE, sendo previsível que as novas aprovações e assinaturas rapidamente levem o Fundo a superar em muito os 50 % do seu objetivo até ao início do verão”.

O FGE foi constituído pelo Grupo BEI e pelos Estados-membros da União como ‘escudo de proteção’ para as empresas europeias mais duramente atingidas pela crise de Covid-19. As garantias do FGE servem de incentivo para os intermediários financeiros concederem mais crédito e em melhores condições às empresas, ajudando-as a aceder a financiamento célere e vantajoso e a superar as consequências económicas da pandemia.

Recomendadas

Transição verde requer apoios nos planos nacionais

O objetivo de atingir uma economia europeia neutra em emissões de carbono até 2050 exige a inclusão do sector dos transportes nos planos nacionais de recuperação, advoga um consórcio do ramo, dada a forte inovação e modernização necessárias.

G7 comprometem-se em fornecer mais de mil milhões de doses de vacinas anti-Covid

O objetivo será um de fornecer doses aos países mais desfavorecidos cujo o acesso às vacinas seja mais difícil. Distribuição deverá acontecer até ao próximo ano.

Crise e dois orçamentos marcam primeiro ano de João Leão à frente das Finanças

Em junho de 2020, o então secretário de Estado do Orçamento era um governante discreto, nome pouco conhecido da opinião pública, quando foi escolhido para ministro das Finanças.
Comentários