Fundo de investimento negoceia financiamento de novas competições com FIFA e Real Madrid

Um dos tópicos em cima da mesa de negociações é a possibilidade de a CVC Capital Partners vir a comprar os direitos comerciais do Campeonato do Mundo de Clubes.

A empresa de capital de risco CVC Capital Partners está interessada em financiar a criação de novas competições de futebol e, por isso, está em negociações com a FIFA, o organismo regulador do futebol mundial. Os novos torneios e ligas poderão vir a rivalizar com as maiores competições do desporto-rei, como a Liga dos Campeões, noticiaram o “Financial Times” e a Reuters na sexta-feira.

Em cima da mesa de negociações está a possibilidade da CVC Capital Partners vir a comprar os direitos comerciais do Campeonato do Mundo de Clubes – competição para a qual o Flamengo de Jorge Jesus conseguiu apurar-se depois da vencer a Copa dos Libertadores. A CVC tem interesse no novo formato da prova, que a partir de 2021 vai contar com 24 clubes em competição.

Além da FIFA, esta este fundo de investimento mantém diálogos com o Real Madrid para financiar novos campeonatos, possivelmente duas novas ligas de 20 equipas. Esse novas provas teriam participação dos oito clubes fundadores da recém-criada World Football Club Association, um organismo presidido pelo espanhol Florentino Pérez – Real Madrid, AC Milan, Auckland City, Boca Juniors, River Plate, Club America, Guangzhou Evergrande e Mazembe.

O CVC Capital Partners é um fundo de investimento que gere 82,5 mil milhões de dólares em ativos e já tem . A concretizar-se um investimento através de uma parceria com a FIFA ou Real Madrid, não se trataria de uma estreia desta empresa no desporto. Recentemente, esta empresa já investiu 227 milhões de libras numa particiapação de 27% na liga inglesa de rugby.

As informações do interesse desta empresa em investir no futebol é um sinal do interesse de novos agentes investidores quererem entrar no desporto-rei. No início deste mês, o fundo Silver Lake anunciou ter adquirido 10% do capital do City Football Group, o grupo dono do Manchester City, por 500 milhões de dólares.

Recomendadas

Fórmula 1 regressa a Portugal com o apoio da cervejeira Heineken

Esta marca de cerveja, que pertence ao grupo que controla a Central de Cervejas, vai lançar uma campanha que resulta da parceria global com a Fórmula 1, iniciada em 2016, “plataforma excecional que tem servido para reforçar o compromisso da cerveja Heineken na promoção de mensagens responsáveis sobre o consumo de bebidas álcoolicas aliado à condução”.

“Jogo Económico”: “Ausência da receita da bilheteira traz impacto significativo”

Na última edição do programa “Jogo Económico”, da plataforma JE TV, Miguel Farinha, partner da EY, realçou que ao nível das receitas, os clubes portugueses estão dependentes de duas variáveis colocadas em causa pela pandemia: as transferências e as receitas de bilheteira.

Quase 20 milhões de euros em apenas um mês. Quanto pode ganhar Jorge Mendes neste mercado?

Jorge Mendes continua a ser o principal agente de futebol a nivel mundial. O agente português não teve contratempos relativos à pandemia de Covid-19 e, como prova do seu trabalho, finalizou cinco negócios no espaço de um mês, todos eles avultados, que poderão render ao agente português quase 20 milhões de euros.
Comentários