Fusões e aquisições de empresas nacionais movimentaram mais dinheiro até maio

O mercado de M&A em Portugal movimentou 3,7 mil milhões de euros nos primeiros cinco meses de 2019, segundo as contas do Transactional Track Record. Contudo, registou-se uma queda no número de negócios anunciados.

O mercado português movimentou 3,7 mil milhões de euros em fusões e aquisições de empresas entre os meses janeiro e maio de 2019, mais 36% do que no mesmo período do ano passado. As operações de M&A [Mergers and Acquisitions] em Portugal cresceram em valor, mas caíram 2,2% em número%, para 136, segundo os números divulgados esta sexta-feira pelo diretório Transactional Track Record (TTR).

“O setor Imobiliário segue como o mais ativo no mercado nacional, apesar de demonstrar uma tendência de queda. Em abril foram sete as operações, que, somadas às realizadas em meses anteriores do ano, totalizam 29 deals, uma queda de 12% em comparação ao mesmo intervalo de 2018”, pode ler-se no documento. O TTR aponta também a subida de 63% no número de aquisições na área da Tecnologia nos primeiros cinco meses do ano.

Nas operações cross-border, registaram-se 62 aquisições de empresas nacionais por estrangeiros, num total de 2,47 mil milhões de euros envolvidos. Entre os negócios além-fronteiras em destaque está a compra companhia de cruzeiros Mystic Invest Holding pelo fundo de private equity norte-americano Certares, por um valor estimado de 250 milhões de euros.

Desta vez, os espanhóis não foram principais investidores em Portugal em termos de volume financeiro. A França, com mais mil milhões de euros aportados, e o Reino Unido, com 710 milhões de euros, lideraram nos investimentos no país. Por outro lado, os investidores portugueses não descuidaram as empresas de nuestros hermanos e 19 realizaram aquisições em Espanha, Brasil e França.

Quanto ao capital de risco, mantém-se em alta. Até maio houve 29 rondas de financiamento anunciadas, com 114 milhões de euros movimentados para os segmentos de Tecnologia e Internet (24 deals) e Saúde (quatro deals). No cenário de private equity, registou-se uma redução 33% no total investido, para 718 milhões de euros.

Ranking de assessorias jurídicas (janeiro a maio 2019)

RRP Advogados1.000 milhões de euros
Uría Menéndez – Proença de Carvalho350 milhões de euros
CMS Rui Pena & Arnaut231 milhões de euros

Ranking de assessorias financeiras (janeiro a maio 2019)

J.P. Morgan Chase International Holdings800 milhões de euros
Citigroup350 milhões de euros
Haitong Securities118 milhões de euros

*Por valor total de transações

Para o TTR, o negócio do mês foi a conclusão da compra da 321 Crédito pelo Banco CTT, por 100 milhões de euros. A operação contou com a assessoria da Morais Leitão, da SRS Advogados, da Arcano Partners e da EY Portugal.

Ler mais
Recomendadas

Tecnologia e ‘know how’ são decisivos para os escritórios de advogados nacionais

As sociedades de média e grande dimensão têm apostado na integração de pequenas firmas que trazem know how em áreas chave. E ninguém fica indiferente ao desafio das novas tecnologias.

Um novo paradigma: jurista global e digital

Não menos importante do que preparar os novos juristas para trabalhar num mundo global, é desenvolver neles um forte sentido crítico e a consciência de que o Estado de Direito democrático não é um dado adquirido.

PLMJ recebe evento da Startupbootcamp

Esta terça-feira, 15 a 20 startups realizam diversos pitches nesta sociedade de advogados.
Comentários