Galp e grupo EDP dão energia à bolsa de Lisboa

A praça lisboeta sobe ao sabor da energia. O anúncio pós-mercado da Galp fez as ações da energética subir na abertura da sessão, acompanhando outras empresas do sector.

A bolsa portuguesa iniciou, esta quarta-feira, as negociações em terreno positivo. O principal índice bolsista português (PSI 20) valoriza 0,30%, para 5,687.86 pontos.

Na abertura do meio da semana, os ganhos são liderados pela EDP Renováveis. A empresa do grupo EDP avança 1,17% para 22,54 euros. Segue-se o BCP a somar 1,11% para 0,16 euros, a Galp a crescer 1,02% para 10,02 euros e a EDP a subir 0,90% para 4,82 euros. A Mota-Engil ganha 0,37% para 1,37 euros, enquanto a Navigator valoriza 0,52% para 3,11 euros e a REN soma 0,19% para 2,67 euros.

A Goldman Sachs prevê que a  EDP feche o terceiro semestre com lucros de 505 milhões de euros, acima dos 420 milhões registados nos mesmos nove meses de 2020. Apesar de prever uma subida dos lucros, o Goldman prevê um recuo do EBITDA: de 2,625 mil milhões de euros para 2,485 mil milhões, devido a uma diminuição dos ganhos com a rotação de ativos.

A Galp valoriza ao dia de hoje depois de ter revelado a sua entrada no negócio das energias renováveis no Brasil. A empresa portuguesa adquiriu 594 megawatts de capacidade solar nos estados da Bahia e do Rio Grande do Norte. O anúncio desta nova aposta foi realizado depois do fecho de mercado.

Por sua vez, a Ibersol é a cotada que apresenta a maior descida. A empresa cai 2,41% para 5,66 euros. Os investidores não terão ficado satisfeitos depois da empresa ter admitido avançar com um aumento de capital até 40 milhões de euros e dar dividendos de 20% aos seus acionistas. Sabe-se que a empresa que detém Pizza Hut, KFC, Taco Bell e Burger King vai realizar o aumento através de uma oferta pública de subscrição de dez milhões de ações com o preço de quatro euros por cada ação.

A Novabase perde 0,85% para 4,68 euros, os CTT recuam 0,59% para 5,07 euros, a Jerónimo Martins desvaloriza 0,34% para 18,96 euros e a Altri cai 0,28% para 5,33 euros.

As principais congéneres europeias estão a negociar em terreno misto. O alemão DAX valoriza 0,18%, o francês CAC 40 perde 0,11%, o britânico FTSE 100 desliza 0,06% e o italiano cresce 0,34%. O espanhol IBEX avança 0,30%. O Euro Stoxx abre a sessão a perder 0,05% para 4.164,65 pontos.

No mercado petrolífero, o barril do Brent perde 0,69%, para 84,49 dólares, enquanto o WTI desvaloriza 0,70% para 81,86 dólares.

No mercado cambial, o euro perde 0,02% face ao dólar, para 1,1630 dólares, e a libra esterlina deprecia 0,05% para 1,3788 dólares.

Recomendadas

Eila Kreivi: “Já não possível alterar a direção do comboio [do investimento sustentável]”

Em entrevista ao Jornal Económico, a diretora do Departamento de Mercados de Capitais do Banco Europeu de Investimentos, reconhecida como a “mãe das obrigações verdes”, considera que a relação entre o sistema financeiro e a sustentabilidade deverá estreitar-se e que isso terá reflexos no mercado.

Sector tecnológico castiga Wall Street numa semana vermelha

A semana terminou com perdas, depois da descoberta da variante Ómicron ter causado preocupações nos investidores. Sectores como o tecnológico e o das viagens foram os mais castigados num dia em que títulos pró-cíclicos, como a banca, também não escaparam às perdas.

PSI-20 ao nível pré-pandémico em novembro próximo dos 5.500 pontos

No final de novembro de 2021, o PSI 20 atingiu o valor de 5.433,1 representando uma diminuição mensal de -5,2% invertendo a trajetória positiva iniciada no mês de agosto.
Comentários