Galpgate: Arguidos podem pagar multas num total de 125 mil euros para não irem a julgamento

O processo que consistiu no pagamento de viagens pela Galp a vários governantes para assistirem a jogos do Campeonato da Europa de 2016 poderá ser arquivado. Os ex-secretários de Estado Fernando Rocha Andrade e Jorge Oliveira são dois dos arguidos.

Os arguidos envolvidos no processo Galpgate poderão evitar o julgamento se concordarem em pagar multas num total de 125 mil euros determinada pelo juiz de instrução, conta a edição desta quinta-feira, 9 de janeiro do Correio da Manhã. O processo que consistiu no pagamento de viagens a vários governantes para assistirem a jogos do Campeonato da Europa de 2016 poderá deste modo ser arquivado.

As empresas mais penalizadas serão a Galp Energia SGPS e Galp Energia SA, com 50 mil euros de multa, sendo que para os restantes arguidos, num total de 15, as sanções variam entre os 600 euros e os 10 mil euros, num valor total que ultrapassa os 125 mil euros. Os pagamentos ao Estado terão de ser feitos nos próximos seis meses, para que os processos, que se encontram em fase de instrução há vários meses, sejam arquivados.

Entre os arguidos estão s ex-secretários de Estado Fernando Rocha Andrade e Jorge Oliveira, o administrador da Galp e ex-secretário de Estado do Tesouro de José Sócrates, Carlos Costa Pina e também um ex-assessor de António Costa. O ex-secretário de Estado, João Vasconcelos também estava no lote dos acusados, mas o processo acabou por ser arquivado após a sua morte.

De acordo com o “CM”, o juiz encarregue do processo garante que é expectável que estes arguidos cumpram as sanções acessórias, o que faz com que seja possível determinar um prazo para que os pagamentos ao Estado aconteçam. O “CM” adianta também que todos os arguidos já terão aceitado a suspensão do processo, aguardando-se agora pelo encerramento do mesmo.

Relacionadas
Francisco Ferreira

Polémicas já provocaram a demissão de 15 membros do Governo de António Costa

José Artur Neves apresentou a demissão no mesmo dia em que a PJ realizou buscas no ministério da Administração Interna, Proteção Civil e a empresa fornecedora por suspeitas relacionadas com a compra das golas antifumo. A primeira demissão teve lugar cinco meses depois do Governo tomar posse, quando ministro da Cultura prometeu “salutares bofetadas” a crítico.

Viagens pagas ao Euro 2016: Sete responsáveis da Galp e dois ex-secretários de Estado acusados pelo Ministério Público

Foram constituídos 18 arguidos no total, incluindo, que ocupavam estes cargos à altura dos factos: dois secretário de Estado, dois chefes de gabinete de secretários de Estado, dois assessores governamentais, dois autarcas e um administrador de empresa concessionária de serviço público.

Relações familiares no Governo de António Costa envolvem 50 pessoas e 20 famílias

Uma contagem anterior apontava que existiam 27 pessoas e 12 famílias no poder, mas nos últimos dias vieram a público mais nomes, catapultando o número para 50 pessoas e 20 famílias, mais um ex-casal.
Recomendadas

A revolução 4.0 no setor agroalimentar: oportunidades de crescimento

Por todo o mundo, multiplicam-se os casos de sucesso que demonstram o impacto das novas tecnologias e sistemas de informação na produtividade e rentabilidade dos negócios agrícolas, tanto nas operações de campo como no back-office.

Governo prepara novas linhas de financiamento às exportações

O secretário de Estado da Economia, João Correia Neves, que está em Milão na maior feira de calçado do mundo, vai colocar verbas do Portugal 2020 à disposição das empresas para a promoção da presença digital nos mercados internacionais.

Liberty cria ecossistema na ‘cloud’ pública

Construir um seguro à medida de cada um e uma oferta personalizável é o objetivo da Liberty Seguros com um novo ecossistema, afirma Alexandre Ramos, da área tecnológica da companhia.
Comentários