Gasolineiras de emergência arriscam multa de 45 mil euros diária caso fechem

No total são 54 postos de combustível exclusivos que têm de estar abertos 24 horas devido à imposição da requisição do conselho de ministros imposta após anunciar a crise energética.

Os donos dos postos da rede de emergência para os veículos prioritários (ambulâncias, carros da polícia e bombeiros) incorrem numa multa de 45 mil euros diários, no caso de não estarem abertos 24 horas por dia, revela o jornal “Correio da Manhã” esta terça-feira.

A confirmação foi dada ao jornal diário pela Entidade Nacional para o Setor Energético (ENSE). Quem não cumprir com esta medida “incumpre com a resolução do conselho de ministros”, refere a ENSE, indicando 54 postos exclusivos.

Esta obrigatoriedade tem vindo a criar muitas dificuldades aos responsáveis dos postos que abrem entre as 7h00 e as 23h00. Muitos destes responsáveis já estão a pedir aos seus funcionários para mudarem os horários.

“Não temos alternativa. Se não abrirmos podemos ser multados em 45 mil euros”, afirma ao “CM”a responsável de um posto de combustível da Grande Lisboa.

Relacionadas
greve_motoristas_gasolina_gasóleo_bomba_1

Um dia depois de decretada requisição civil, 471 postos já não têm qualquer tipo de combustível

De acordo com o site “Já não Dá para Abastecer”, às 8h30 desta terça-feira, havia 471 postos de combustível sem gasolina e gasóleo.
Nome do ficheiro: greve-motoristas-matérias-perigosas.jpg

Motoristas: Trabalhadores a funcionar a 100% mas só oito horas

Todos os motoristas de matérias perigosas estão a trabalhar esta terça-feira, 13 de agosto, no segundo dia de greve e primeiro em que funciona a requisição civil decretada na segunda-feira pelo Governo, garantiu o representante sindical destes trabalhadores.
combustíveis, motoristas

O que acontece aos motoristas se incumprirem a requisição civil?

A requisição civil será regulada por portaria ministerial, impondo as obrigações aos motoristas. Em caso de incumprimento, que constitui justa causa para despedimento, os motoristas poderão responder criminal e civilmente.
Recomendadas

Covid-19: ‘Chef’ Vítor Sobral vai “acender uma velinha a Nossa Senhora de Fátima” para pagar salários

O Grupo Quina emprega cerca de 120 funcionários. Dois restaurantes foram encerrados, outros dois estão a funcionar em regime de ‘take away’, assim como as padarias. Vítor Sobral garante salários neste mês de março, mas não sabe como será no mês de abril.

Covid-19: Kaeser garante assistência a equipamentos de ar comprimido de hospitais e da indústria

Além de cerca de três mil empresas do setor industrial, em Portugal a Kaeser trabalha com hospitais como o Grupo Trofa Saúde, Hospital Santo António, Hospital de Braga, Hospital de Santa Maria, Hospital de Gaia, Hospitais de Coimbra, Hospitais Lusíadas e Fundação Champalimaud.

Covid-19: AHP disponibiliza 80 quartos para profissionais dos hospitais Curry Cabral e São José

Desta forma, foram disponibilizados para hospedar 80 profissionais de saúde as intalações das unidades hoteleiras Hotel My Story Tejo, na Praça da Figueira; Hotel Turim Ibéria, na Avenida 5 de Outubro; e Hotel Vip Berna, na Avenida António Serpa.
Comentários