Gastronomia portuguesa é tema no MasterChef Brasil

O chef Vítor Sobral foi o júri português num programa dedicado à fusão da gastronomia portuguesa com a brasileira.

Que a gastronomia portuguesa desempenhou um papel fundamental na brasileira parece óbvio deste lado do Atlântico, mas nem sempre reconhecido do outro. Justiça reposta num programa do Masterchef brasileiro que fundiu as duas gastronomias e que contou com a participação do chef Vítor Sobral como júri, uma escolha diríamos que quase óbvia, tendo em conta o sucesso dos seus restaurantes naquele país.

Vítor Sobral entrou no Brasil há dez anos com a Tasca da Esquina, o mesmo conceito do restaurante em Campo de Ourique. Desde então já abriu  a Padaria da Esquina e a Taberna da Esquina, e todos os três continuam a ser regularmente premiados. Ainda este ano o Guia Comer e Beber da Revista Veja, em São Paulo, elegeu a Tasca da Esquina como o melhor restaurante português da cidade, a Padaria da Esquina foi distinguida como a melhor padaria da cidade e a Taberna da Esquina com o melhor menu de almoço.

No programa, que passa em Portugal na SIC mulher (ou no YouTube) estavam a concorrer duas equipas – a verde e a vermelha – e no fim ganhou a verde com uma sobremesa com Queijo da Serra (chamaram-lhe queijo de ovelha) e redução de Vinho do Porto, zabaione de gemas e especiarias e suprême de tangerina. Parece delicioso em qualquer lado.

Recomendadas

Lady Gaga e Jennifer Lopez entre os artistas que vão estar na tomada de posse de Joe Biden

A equipa do presidente eleito apontou que as cantoras representam a “visão inabalável de Biden e da vice-presidente eleita Kamala Harris de um novo capítulo na história americana”.

Livro: “Apologia do Ócio”

Mais conhecido por tesouros numa dada ilha, que aqui não vêm ao caso, Robert Louis Stevenson discorre neste livro sobre a importância de cultivarmos vícios felizes. Por alguma razão o ‘fare niente’ é ‘dolce’.

Decisão “unilateral” de aumentar quotas de música portuguesa nas rádios “em nada favorece” rádios ou artistas, aponta associação

Para a ARIC, a medida é incompreensível por limitar as liberdades das rádios e poderá mesmo agravar a sua situação financeira, dado que muitos ouvintes poderão migrar para plataformas digitais onde não existem estas limitações.
Comentários