Gastronomia portuguesa é tema no MasterChef Brasil

O chef Vítor Sobral foi o júri português num programa dedicado à fusão da gastronomia portuguesa com a brasileira.

Que a gastronomia portuguesa desempenhou um papel fundamental na brasileira parece óbvio deste lado do Atlântico, mas nem sempre reconhecido do outro. Justiça reposta num programa do Masterchef brasileiro que fundiu as duas gastronomias e que contou com a participação do chef Vítor Sobral como júri, uma escolha diríamos que quase óbvia, tendo em conta o sucesso dos seus restaurantes naquele país.

Vítor Sobral entrou no Brasil há dez anos com a Tasca da Esquina, o mesmo conceito do restaurante em Campo de Ourique. Desde então já abriu  a Padaria da Esquina e a Taberna da Esquina, e todos os três continuam a ser regularmente premiados. Ainda este ano o Guia Comer e Beber da Revista Veja, em São Paulo, elegeu a Tasca da Esquina como o melhor restaurante português da cidade, a Padaria da Esquina foi distinguida como a melhor padaria da cidade e a Taberna da Esquina com o melhor menu de almoço.

No programa, que passa em Portugal na SIC mulher (ou no YouTube) estavam a concorrer duas equipas – a verde e a vermelha – e no fim ganhou a verde com uma sobremesa com Queijo da Serra (chamaram-lhe queijo de ovelha) e redução de Vinho do Porto, zabaione de gemas e especiarias e suprême de tangerina. Parece delicioso em qualquer lado.

Recomendadas

78.ª edição dos Globos de Ouro criticada pela falta de diversidade

“Todos sabemos que as cerimónias de prémios são estúpidas”, acrescentou Tina Fey. “A questão é que, mesmo com coisas estúpidas, a inclusão é importante e não há negros entre os membros da Associação da Crítica Estrangeira em Hollywood”, afirmou, instando a organização a fazer mudanças.

PRR deve incluir 280 milhões para indústrias culturais e criativas

A Plataforma Cívica Convergência pela Cultura propõe que o Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) consigne um montante de 280 milhões de euros para as indústrias culturais e criativas e que estas sejam incluídas como setor estratégico transversal.

Livro: “Carta a um Refém”

Se para o Principezinho o essencial é invisível aos olhos, nesta “Carta a um Refém” o essencial está amiúde distante, como os amigos e a terra natal. Uma homenagem acutilante e comovente pela pena de Saint-Exupéry.
Comentários