General Motors vai contratar mais 3 mil trabalhadores em 2021

A fabricante automóvel procura profissionais em áreas como engenharia, análise de dados, design criativo, recursos humanos, TI, enfermagem ou mecânica para as fábricas dos Estados Unidos, mas diz que “oferecerá oportunidades mais remotas do que nunca”.

A General Motors (GM) anunciou esta segunda-feira que vai contratar 3 mil novos trabalhadores ao longo do primeiro trimestre de 2021. A fabricante automóvel procura sobretudo especialistas em engenharia, design e Tecnologias de Informação (TI) para a auxiliarem a transformar o “futuro” do desenvolvimento de produtos e de software.

Apesar de o foco ser o digital, a multinacional norte-americana quer recrutar também profissionais nas áreas de recursos humanos, enfermeiros e técnicos de mecânica para as bases que tem em estados com o Texas ou Michigan, tal como se pode ver no website no qual os candidatos podem fazer as inscrições.

A procura destes serviços que, geralmente, exigem uma presença física continua até porque, de acordo com a informação divulgada à imprensa, a empresa “oferecerá oportunidades mais remotas do que nunca, à medida que o desenvolvimento de veículos autónomos e elétricos e plataformas avançadas como o sistema de baterias Ultium continuam num ritmo acelerado”.

“À medida que evoluímos e aumentamos a nossa experiência em software e serviços, é importante continuarmos a recrutar e juntar diversos talentos. Isso mostrará claramente que estamos comprometidos em desenvolver ainda mais o software de que precisamos para liderar em veículos elétricos, melhorar a experiência do cliente e tornarmo-nos uma força de trabalho orientada por experiência em software”, referiu o presidente da GM, Mark Reuss.

Segundo a fabricante automóvel, as últimas inovações ligadas ao virtual feitas pela equipa de engenharia permitiram que a empresa acelerasse o calendário de produtos dos próximos carros elétricos, mantendo os custos baixos.

Recomendadas

“Sobreviver a Pão e Água”. “Centenas” de membros do movimento dispostos a regressar à greve de fome se Governo não aprovar medidas exigidas

Movimento diz que Governo disse que iria apresentar em breve várias das medidas por si exigidas. Se até dia 11 de dezembro, não apresentar as restantes medidas ameaçam que com o regresso à greve de fome em frente ao Parlamento e por todo o país, com “mais de uma centena de pessoas”.

Sindicato denuncia que Ryanair se prepara para despedir 23 tripulantes no Porto enquanto abre processo de recrutamento

O SNPVAC denuncia que, ao mesmo tempo que a companhia aérea avança para o despedimento coletivo, já está a realizar cursos para novos tripulantes “violando grosseiramente o Código de Trabalho”, segundo o sindicato.

Costa adia anúncio de medidas de apoio para as rendas do comércio e da restauração

A 21 de novembro, o primeiro-ministro anunciou que as medidas de apoio para as rendas de lojas e restaurantes seria anunciada nos dias seguintes. Passados 15 dias, o Governo ainda não anunciou os apoios e adiou para a próxima semana.
Comentários