Glaciar na montanha mais alta dos Alpes em risco de colapso

O degelo no Monte Branco já levou ao corte de estradas na região e à evacuação de algumas cabanas nas montanhas.

O degelo deixou de ser um problema da Gronelândia, Antártida ou Ártico. O risco de colapso de um bloco de gelo de 250 mil metros cúbicos atingiu agora o Monte Branco, a mais alta montanha dos Alpes e da União Europeia.

O alerta sobre o risco do glaciar Planpincieux, no pico das Grandes Jorasses, foi dado por climatologistas, avança a BBC. A indicação de que os blocos de gelo estavam a cair em quantidades entre 50 a 60 centímetros por dia levou as autoridades italianas a decidir encerrar estradas e evacuar algumas cabanas nas montanhas.

Os especialistas do governo regional do Vale de Aosta e da Fundação Safe Mountain dizem que é impossível prever ao certo quando é que a massa de gelo entrará em colapso, mas, por precaução, há governantes dos Alpes a tomar medidas desde esta terça-feira.

O autarca da região italiana de Courmayeu assinou um pedido de encerramento de estradas no Vale Ferret apesar de garantir que ainda não existia uma ameaça real às áreas residenciais ou aos estabelecimentos turísticos. “Esses fenómenos mostram mais uma vez como a montanha está a passar por um período de grandes mudanças devido a fatores climáticos e, portanto, é particularmente vulnerável”, explicou Stefano Miserocchi à imprensa local.

Recomendadas

Rainha de Inglaterra irritada com muitas opiniões e pouca ação contra alterações climáticas

A Rainha de Inglaterra é a última figura da monarquia britânica a abordar o tema, sendo que os príncipes Carlos e William já tinham falado sobre as problemáticas ambientais.

Lisboa inundada ou Porto em chamas. Veja como as alterações climáticas podem alterar a sua rua e cidade

Inundações, incêndios ou poluição do ar, veja como as alterações climáticas podem impactar a sua rua ou cidade.

Já vai poder rastrear equipamentos elétricos e eletrónicos em fim de vida

Hoje é o Dia Internacional dos Resíduos Elétricos. A medida prevê a colocação de dispositivos de localização nalguns equipamentos elétricos e eletrónicos que chegam ao seu fim de vida, sendo esses resíduos reencaminhados para os diversos circuitos que existem atualmente para a sua recolha e monitorizada a sua gestão.
Comentários