GNR regista 615 acidentes com 22 feridos graves e um morto na Operação Páscoa

O acidente, que causou uma vítima mortal, resultou da colisão entre três veículos, no concelho de Valença, tendo provocado ainda cinco feridos, dois dos quais com gravidade.

A GNR registou 615 acidentes nas estradas portuguesas, com 22 feridos graves e uma vítima mortal, durante os três primeiros dias da Operação Páscoa, de acordo com os dados provisórios hoje divulgados.

Desde quinta-feira, as patrulhas da Guarda Nacional Republicana fiscalizaram 13 mil e 300 condutores, dos quais 236 conduziam com excesso de álcool. Destes, 101 foram detidos por apresentarem uma taxa de alcoolemia igual ou superior a 1,2 gramas álcool por litro de sangue.

Foram ainda detidas 34 pessoas sem carta de condução, indica a GNR em comunicado.

O acidente, que causou uma vítima mortal, resultou da colisão entre três veículos, no concelho de Valença, tendo provocado ainda cinco feridos, dois dos quais com gravidade.

A vítima mortal, um homem de 34 anos, seguia numa das viaturas.

Segundo os Bombeiros de Valença, no veículo viajava uma mulher de 24 anos, que sofreu ferimentos graves e foi transportada para o Hospital de Braga.

Num segundo carro envolvido viajava uma criança com 9 anos de idade, que ficou em estado grave e foi transportada para o Hospital de Santa Luzia, em Viana do Castelo. A mulher de 31 anos que conduzia a viatura sofreu ferimentos ligeiros, disse à agência Lusa a mesma fonte.

Num terceiro carro viajavam duas mulheres, com 56 e 58 anos, que sofreram ferimentos ligeiros.

Estiveram envolvidos nas operações de socorro 23 operacionais.

Ler mais
Recomendadas

Movimento cívico alerta para consequências da exploração de lítio na Serra d’Arga

A ação, promovida pelo Movimento de Defesa do Ambiente e Património do Alto Minho, pretende sensibilizar para a “calamidade da exploração mineira massiva” na serra d’Arga e “parar” um projeto que “põe em causa 20%” daquele território.

Vespa asiática obriga ao encerramento da zona ocidental do Parque da Pena em Sintra

Em comunicado, a Parque de Sintra – Monte da Lua (PSML) explica que a decisão de encerrar a zona ocidental do Parque da Pena, em que se incluiu o Chalet da Condessa d’Edla, surgiu depois de terem sido contactados os serviços de Proteção Civil da Câmara Municipal de Sintra, no distrito de Lisboa.
Comentários