Goldman Sachs refere que aprovação da vacina Covid-19 pode afetar os mercados

A aprovação de uma vacina pode “desafiar as suposições do mercado tanto sobre a ciclicidade quanto sobre as taxas reais eternamente negativas”, indicou um conjunto de analistas.

A Goldman Sachs informou aos investidores que devem considerar o risco de uma vacina contra o coronavírus poder vir a perturbar os mercados, avançou o “Business Insider” esta quinta-feira, 6 de agosto.

O aumento da probabilidade de uma vacina aprovada até ao final de novembro está a ser subvalorizado pelos mercados de ações, indicou um grupo de analistas, entre eles Kamakshya Trivedi, um dos responsáveis pela Goldman Sachs, numa nota de imprensa na quarta-feira.

Nos próximos meses, as ramificações da eleição nos Estados Unidos e a evolução do vírus, em parte com a reabertura das escolas, provavelmente serão os principais fatores motivadores do mercado.

Na missiva, é referido que a aprovação de uma vacina pode “desafiar as suposições do mercado tanto sobre a ciclicidade quanto sobre as taxas reais eternamente negativas”. Tal cenário pode suportar curvas de rendimento mais íngremes, enquanto desafia a liderança das ações tecnológicas.

Se a aprovação da vacina acontecer em simultâneo com a mudança na administração dos EUA as ações dos mercados emergentes poderão beneficiar “se os riscos da política comercial diminuíssem enquanto os riscos fiscais dos EUA aumentassem”, indicam na nota de imprensa.

Apesar dos alertas, os analistas reconheceram ser muito cedo para os investidores posicionarem-se de forma agressiva para esta mudança, mas decidiram falar sobre o tema.  Por exemplo, algumas opções de compra do S&P 500 ainda parecem atraentes, e a Goldman vê vantagens em torno do nível 3.700 pontos, caso haja uma vacina precoce.

Caso exista uma reversão da atividade provocada por uma segunda onda do vírus, o número reduz para 2.200 pontos. O benchmark dos EUA fechou abaixo de 3.328 pontos na quarta-feira.

A equipe do Goldman foi mais direta ao manter sua visão sobre o dólar. “A gama de resultados é ampla e a nossa maior confiança ainda é a contínua fraqueza do dólar americano”, apontaram.

Ler mais

Relacionadas

Lucro trimestral da Toyota cai 74% devido a queda de vendas durante o confinamento

O lucro da construtora de automóveis japonesa Toyota caiu 74% no último trimestre, face ao mesmo período do ano passado, devido à queda para metade da venda de carros causada pela pandemia da Covid-19, anunciou esta quinta-feira a empresa.

Praça portuguesa arranca no vermelho em linha com Europa. Perdas de quase 4% dos CTT penalizam PSI 20

Principal índice bolsista português iniciou a sessão desta quinta-feira a perder 0,38%, para 4.386,33 pontos, em linha com as principais praças europeias.
Recomendadas

Wall Street aguenta, mas perdeu fôlego ao longo do dia

Os principais índices do outro lado do Atlântico estiveram a subir, mas no final do dia acabaram por ceder. Mesmo assim, dizem os analistas, os investidores continuam a confiar em novos estímulos à economia.

Remuneração base média sobe 3,3% na função pública para 1.533 euros em abril

Segundo os dados da Direção-Geral da Administração e do Emprego Público (DGAEP), “em abril de 2020, o valor da remuneração base média mensal dos trabalhadores a tempo completo no setor das administrações públicas situava-se em cerca de 1.532,7 euros”.

Número de funcionários públicos aumenta em mais de 15 mil no 2.º trimestre

De acordo com os dados da Direção-Geral da Administração e do Emprego Público (DGAEP), “a 30 de junho de 2020, o emprego no setor das administrações públicas situou-se em 705.212 postos de trabalho, assinalando um aumento de 2,2% face ao trimestre homólogo e 0,2% face ao trimestre anterior”.
Comentários