GoParity triplica valor investido por privados em sustentabilidade

A startup que nasceu em 2017, deu o seu maior salto no ano da pandemia, duplicando o número de projetos disponíveis na plataforma para investimento, de 32 em 2019 para 66 em 2020. Dos 3,9 milhões de euros investidos, dois milhões foram em 2020, abrangendo cinco países.

No total foram 3,9 milhões de euros em investimentos para a criação de impacto social e ambiental positivo pela GoParity. Saúde, educação, agricultura sustentável, fábricas em transição, moda ecológica, mobilidade elétrica, energias renováveis, emprego e economia do mar são as áreas que mais cativaram os investidores.

A startup que nasceu em 2017, deu o seu maior salto no ano da pandemia, duplicando o número de projetos disponíveis na plataforma para investimento, de 32 em 2019 para 66 em 2020. Dos 3,9 milhões de euros investidos, dois milhões foram em 2020, abrangendo cinco países diferentes.

O número de investidores também acompanhou a tendência. Há um ano eram 4.800 os investidores registados, e hoje contam-se mais de nove mil, segundo os dados da GoParity. Segundo a empresa, “a grande evolução está no valor investido, a comunidade de investidores investiu, só em 2020, 2.1 milhões de euros, em comparação com os 1.7 milhões de euros investidos nos dois anos anteriores juntos”.

Só no último trimestre de 2020, o montante de investimento superou todo o investimento de 2019. Relativamente ao negócio, a GoParity conta com uma equipa de 11 pessoas e uma faturação anual a crescer 124% em relação ao ano anterior (ou 104% ao ano desde 2018).

Para Nuno Brito Jorge, fundador e CEO da GoParity, “2020, que prometia ser o ano da sustentabilidade, acabou por ser o ano da pandemia. Isso amenizou o clima de investimento na primeira metade do ano, mas despertou muitas consciências em relação à forma como nos relacionamos com o planeta e com os outros e também em relação ao papel ativo que podemos ter como cidadãos, mesmo nas escolhas que fazemos enquanto consumidores. A necessidade tornou-se ainda mais evidente e muitas pessoas e empresas responderam”.

A empresa sublinha ainda a importância da diversificação de género entre os investidores, destacando que 20% da comunidade são mulheres, estando representadas em 53 nacionalidades – Portugal, França, Itália, Brasil, Alemanha, Reino Unido, Espanha, Suíça, Suécia e Países Baixos são os países de origem mais relevantes em volume de investimento. Portugal, Espanha, Itália, Brasil e Alemanha representam a maior fatia de número de investidores. Dos quase 3.9 milhões de euros investidos por esta comunidade, mais de 715 mil euros já foram devolvidos.

Ler mais
Recomendadas

TAP propõe acordo com tripulantes para vigorar até final de 2024

O acordo, segundo o qual “as medidas acordadas referentes a retribuições e outras prestações pecuniárias, retributivas ou não, produzem efeitos a 1 de janeiro de 2021”, estabelece a suspensão “das tabelas salariais e remuneratórias em vigor à data da entrada em vigor deste acordo, incluindo as constantes de normativo específico de cada função e/ou de acordos individuais”.

Turismo do Centro apresenta novas iniciativas para as Rotas das Invasões Francesas

O destaque vai para a apresentação das rotas turísticas relativas à Terceira Invasão Francesa, que teve início em julho de 1810 e terminou em abril de 1811. No território nacional, a invasão iniciou-se em Almeida e continuou para o Bussaco, onde teve lugar uma importante batalha, tendo terminado nas Linhas de Torres Vedras, de onde os franceses retiraram em perda.

Pilotos do porto de Aveiro resgatam navio da ETE

Depois de ativados os procedimentos de segurança, os serviços técnicos de pilotagem do porto de Aveiro em colaboração com os rebocadores e em articulação com a Capitania, “a operação do salvamento do navio e tripulação foi realizada com sucesso, encontrando-se o navio atracado em segurança”.
Comentários