Governo acaba com cheque para carros elétricos de luxo

Cheque de 2.250 euros dado pelo Governo vai ter um teto máximo de 62.500 euros. Acabaram-se os subsídios para comprar os Tesla mais caros, que atingem os 100 mil euros, entre outros carros elétricos de luxo.

O Governo vai acabar com o cheque de 2.250 euros para comprar carros elétricos acima de 62.500 euros. Este subsídio continua a vigorar este ano, mas só é válido para quem comprar um carro de baixas emissões poluentes abaixo deste novo teto máximo.

O ministro do Ambiente e da Transição Energética considera que não faz sentido estar a subsidiar a compra de veículos elétricos acima deste valor.

“O incentivo que temos dado de 2.250 euros por cada veículo elétrico novo que entra no mercado vai continuar durante este ano, sendo que com uma limitação acima de 60 mil euros do valor do veículo, isto é já para gente muito endinheirada, deixaremos de dar esse incentivo”, disse João Pedro Matos Fernandes em entrevista à RTP3 na segunda-feira. “Mas para todos os outros continuaremos a dá-lo e acreditamos que ele é suficiente”, acrescentou.

Questionado pelo Jornal Económico, o ministério do Ambiente e da Transição Energética confirmou que vai avançar com esta medida. “Em relação ao teto máximo do preço dos carros para que sejam concedidos benefícios, o valor máximo é  de 62.500 euros”, afirmou fonte oficial da tutela ao Jornal Económico.

Este teto de 62.500 euros já existe para as empresas que comprem carro elétrico, sendo que este ano vai ser alargado aos compradores individuais.

Analisando o mercado, a maioria dos modelos da marca Tesla vão ficar sem subsídio: o modelo mais barato do Model X começa nos 113.900 euros, enquanto que o modelo mais em conta do Model S fica em 109.400 euros, de acordo com site da Tesla Portugal. O único modelo da Tesla que vai ter direito ao cheque em Portugal é a versão mais barata do recém-lançado Model 3, que custa 60.200 euros.

As vendas de carros elétricos dispararam 148% em 2018 para um total de 4.073 viaturas, segundo os dados da Associação Automóvel de Portugal (ACAP).

Os três modelos mais vendidos no ano passado foram o Nissan Leaf (1.593 unidades), Renault Zoe (1.305) e BMW I3 (363). Estes três modelos, por exemplo, continuam a ter direito a receber o cheque de 2.250 euros pois o seu preço fica abaixo do teto máximo:  Nissan Leaf (33.400 euros), Renault Zoe (34.292 euros), BMW I3 (42.100 euros).

Sobre a criação de um teto máximo, a Associação de Utilizadores de Veículos Elétricos (UVE) aplaude a ideia. “Deveria haver um teto, não faz muito sentido estar a ajudar com dois mil euros quem pode pagar 100 mil euros por um carro, quando há pessoas que têm dificuldade para pagar 25 mil ou 30 mil euros por um carro elétrico”, disse ao JE o presidente da UVE Henrique Sanchez.

O ministério do Ambiente e da Transição Energética não adiantou se este ano o cheque de 2.250 euros vai ficar limitado a quem comprar os primeiros mil automóveis elétricos em Portugal, tal como aconteceu em 2018, pois o valor global do subsídio era de 2,250 milhões de euros.

Ler mais
Recomendadas

PremiumRangel Pharma vai investir mais 12 milhões de euros

Após dez anos de atividade na logística farmacêutica, Nuno Rangel, CEO do Grupo Rangel, revela um plano de investimentos a cinco anos para quase duplicar a área de armazenagem e criar mais 130 empregos em Portugal.

PremiumCEO da Unicre: “Depois do Porto, estamos em conversas para pagamento ‘contactless’ nos transportes em Lisboa”

Pioneira nos cartões de crédito em Portugal, a Unicre lança um ‘rebranding’ para salientar a base digital, atrair clientes jovens e abrir portas a mercados internacionais, revela o presidente da empresa, João Baptista Leite.

PremiumTesla tem bateria de sobra para dar mais energia às ações

Em 2020, os títulos da Tesla já valorizaram mais 36%. Ao Jornal Económico, o banco de investimento Jefferies explica que a elétrica de Elon Musk tem muito mais para dar para além dos carros.
Comentários