Governo afirma que Portugal 2020 tem mais 5 mil milhões de euros para investimento

“No ano passado o aumento do investimento privado no país foi de 9%. Ao Estado compete criar melhores condições para que se possa investir…Hoje, chegaram quatro mil milhões de euros para que possam investir”, afirmou António Costa, em Vila Velha de Ródão.

Miguel A. Lopes / Lusa

O primeiro-ministro, António Costa, afirmou esta terça-feira que no ano passado houve um aumento do investimento privado no país de 9% e adiantou que na reprogramação do Portugal 2020 há mais cinco mil milhões de euros para investimento.

“No ano passado o aumento do investimento privado no país foi de 9%. Ao Estado compete criar melhores condições para que se possa investir…Hoje, chegaram quatro mil milhões de euros para que possam investir”, afirmou António Costa, em Vila Velha de Ródão, distrito de Castelo Branco, onde inaugurou a empresa Roclayer.

O primeiro-ministro sublinhou que é necessário cada vez mais que as autarquias compreendam que, satisfeitas as necessidades básicas das populações, a grande prioridade é mobilizarem-se para o desenvolvimento económico e social.

“Na reprogramação do Portugal 2020 há mais cinco mil milhões de euros para que as empresas possam continuar a investir. Queremos que invistam acima de tudo no interior. E, desses cinco mil milhões de euros, 1.700 milhões só podem ser utilizados por empresas que invistam no interior”, afirmou.

Recomendadas

Eletricidade. Desde 2009 que o valor da dívida tarifária não era tão baixo

A dívida vai afundar mil milhões em 2022, a maior descida registada desde 2008.

“Apoios de nove milhões foram cruciais para minimizar prejuízos”, revela presidente do Instituto dos Vinhos do Douro e Porto

“Esses apoios foram cruciais para, de alguma forma, minimizar aquilo que poderiam ser os prejuízos dos agricultores na venda das suas uvas”, revela Gilberto Igrejas. “Foram nove milhões de euros, na Região Demarcada do Douro, muito importantes para que o tecido produtivo não tivesse quebras superiores”, assegura o presidente do Instituto dos Vinhos do Douro e Porto (IVDP), na edição do podcast “Conversas com Norte” que irá para o ar na próxima segunda-feira.

CGTP considera medidas na proposta de OE2022 insuficientes

A intersindical reconhece o mérito do desdobramento dos escalões do IRS, mas considera esta medida “manifestamente insuficiente” e pede mais rasgo no combate ao “modelo de precariedade” que vigora em Portugal.
Comentários