Governo ajuda a pagar janelas novas em casas anteriores a 2006

O valor foi esta quarta-feira anunciado pelo ministério do Ambiente para a transformação de casas, construídas até 2006, que sejam menos eficientes energeticamente. O programa começa a funcionar na próxima semana.

O novo programa do Governo do Fundo Ambiental vai disponibilizar 4,5 milhões de euros para tornar as casas construídas até 2006 mais eficientes energeticamente como forma de fomentar a atividade económica.

De acordo com um comunicado divulgado, esta quarta-feira, o ministério do Ambiente vai apoiar pequenas obras, como mudança de janelas ou colocação de painéis fotovoltaicos. As obras ou compras de material podem ser comparticipadas a 70%, com um limite de até 7.500 euros.

“Cada candidato está limitado a um incentivo total máximo de 15.000 euros, sendo o limite máximo por edifício unifamiliar ou fração autónoma de 7.500 euros”, lê-se no comunicado.

O programa, que tem um envelope financeiro de 4,5 milhões de euros (1,75 milhões de euros este ano e 2,75 milhões de euros em 2021), começa a funcionar no dia 7 de setembro e está enquadrado no programa de recuperação económica incluído no Orçamento Suplementar para este ano.

Segundo a nota, a iniciativa é dirigida a “a pessoas singulares proprietárias de frações ou edifícios de habitação, construídos até ao final de 2006”. A  partir desta quarta-feira a informação começa a estar disponível no site do Fundo Ambiental.

Recomendadas

Associações empresariais contestam duplicação da taxa de gestão de resíduos

O Governo aprovou na passada quinta-feira, dia 17 de setembro, em Conselho de Ministros, uma alteração ao regime geral de gestão de resíduos, aumentando o valor da taxa de gestão de resíduos (TGR), de 11 euros por tonelada, para 22 euros por tonelada, a partir de janeiro de 2021.

Pacto Português para os Plásticos quer reiventar o uso deste material

‘Vamos Reinventar o Plástico’ é o mote da campanha do Pacto Português para os Plásticos, que arranca hoje [dia 18 de setembro] e que pretende sensibilizar os consumidores portugueses para uma utilização responsável do plástico.

António Guterres pede aos governos para não apoiarem indústrias de combustíveis fósseis

“Ou podemos investir nas tecnologias do futuro, energia renovável, soluções baseadas na natureza, transporte sustentável e tecnologias verdes”, acrescentou o secretário-geral da ONU, dizendo que apenas este último é o caminho “racional”.
Comentários