Governo ambiciona receita de 27 mil milhões de euros “à custa de melhores turistas”

Rita Marques estima que as empresas do sector tenham uma dívida acumulada de cerca de cinco mil milhões de euros e assume que a prioridade é privilegiar as regiões mais turísticas no processo de vacinação contra a Covid-19.

ANTÓNIO PEDRO SANTOS/LUSA

O Governo espera atingir uma receita de 27 mil milhões de euros com o regresso dos turistas a Portugal. A meta é traçada por Rita Marques, secretária de Estado do Turismo, em entrevista ao JN\TSF, divulgada este domingo, 23 de maio.

“Queremos a ambição de atingir 27 mil milhões de euros de receita não à custa de muitos turistas, mas à custa de melhores turistas”, refere, acrescentado que é necessário privilegiar as regiões turísticas no processo de vacinação contra a Covid-19, estando o Algarve na ‘pole-position’.

“Estamos a analisar, é uma forte possibilidade. Todos os dados já foram enviados para a task force, que tem sido absolutamente inexcedível, que entende bem a ansiedade do setor, e estamos a apurar se existem condições, com a brevidade possível, mas não tenho datas”, afirma Rita Marques.

Por outro lado, a secretária de Estado do Turismo assume que “muito dificilmente” os bares e discotecas poderão retomar a sua atividade em breve, mesmo que a imunidade de grupo possa vir a ser atingida em agosto. “Sei que a ansiedade é muita. Se me pergunta uma data ou momento concreto, não tenho uma resposta. Haveremos de a ter, mas neste momento é um trabalho que está em curso”, sublinha.

Recomendadas

Movimento nos aeroportos portugueses sobe 2,3% até setembro para 15,2 milhões de passageiros

O número de passageiros que passou pelos aeroportos portugueses aumentou, em termos homólogos, em 2,3%, para 15,2 milhões até setembro, adiantou em comunicado a Vinci, que detém a ANA – Aeroportos de Portugal.

Matos Fernandes descarta medidas adicionais para atenuar subida dos preços da energia

O Ministro do Ambiente e Ação Climática, João Pedro Matos Fernandes, disse esta sexta-feira que “não vai haver necessidade” de falar de medidas adicionais para atenuar a subida dos preços da eletricidade “nos meses mais próximos”.

Galp: “Evento na Unidade de Destilação Atmosférica de Sines” não teve impacto no abastecimento do mercado português

“Seguindo os protocolos de segurança, a Empresa parou a operação da DAT que, após o seu arranque, é esperado que opere com taxas de utilização mais reduzidas durante algumas semanas”, anuncia a Galp.
Comentários