Governo anuncia novos inspetores do SEF para reforçar serviços no Aeroporto de Lisboa

O Aeroporto Humberto Delgado, Lisboa, tem 45 novos inspetores estagiários do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF). O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, salienta que o Governo pretende antecipar a resposta ao crescimento de tráfego.

O Governo anunciou ontem que o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) dispõe de 45 novos inspetores estagiários para reforçar os serviços no Aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa. O reforço dos inspetores estagiários visa antecipar a resposta ao previsível crescimento de tráfego no aeroporto.

Na cerimónia de receção aos novos inspetores estagiários no aeroporto, o ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, realçou que, no início do mês de abril, já houve um reforço de 22 inspetores nos mesmos serviços, perfazendo um total de 67 estagiários. “Trata-se do maior número de sempre de inspetores no Aeroporto de Lisboa e que corresponde a mais do dobro do que havia em 2014”, destacou o Governo, através de um comunicado.

“O ministro disse que vão ser criados 49 postos de controlo eletrónico distribuídos pelos aeroportos de Lisboa, do Porto, de Faro e do Funchal e que visam melhorar as condições de acesso de passageiros e as condições de resposta. Eduardo Cabrita disse também que, em breve, vai reunir-se com a ANA e que já estão a ser consideradas novas condições para o SEF e para a PSP na preparação do alargamento do Aeroporto de Lisboa”, indica o mesmo comunicado.

“Com o reforço dos estagiários no aeroporto, o Governo pretende antecipar a resposta ao crescimento de tráfego no aeroporto. A este propósito, o ministro referiu que ‘o número de passageiros não Schengen duplicou, entre 2013 e 2019’ e que ‘a resposta que o SEF dá é mais do que duplicar os seus meios humanos no Aeroporto de Lisboa e propor à concessionária ANA a diferenciação das zonas de atendimento de passageiros, por origens dos voos, criando zonas de circulação mais rápida para passageiros em trânsito'”, conclui.

No fim-de-semana, o Sindicato de Carreira de Investigação e Fiscalização do SEF exigiu ao Governo que pusesse a ANA, gestora dos aeroportos, “na ordem”, para que os inspetores tenham “condições aceitáveis” de trabalho, recorda a Agência Lusa.

O sindicato acusa a Vinci Airports, que detém a ANA Aeroportos, de não atribuir aos inspetores do SEF no Aeroporto Humberto Delgado “salas condignas para as suas refeições, restringindo-lhes as áreas comuns, mantendo as mesmas salas de entrevistas e as mesmas instalações sanitárias do tempo em que o trânsito aeroportuário era um terço do atual”. De resto, o sindicato lembra que há 10 anos havia 120 inspetores no Aeroporto de Lisboa e que “agora são 280”.

Ler mais
Recomendadas

Mutualista diz que fusão do Montepio com BCP colide com os interesses dos associados

“O Banco Montepio dispõe de soluções de capital ajustadas às suas necessidades e encontrará o seu próprio caminho de estabilização”, garante a instituição liderada por Virgílio Lima. “Uma fusão desta natureza corresponderia à sua descaracterização, algo que colide com os interesses da Associação e dos associados”, defendem.

Grupo Os Mosqueteiros investe 25,3 milhões para abrir mais seis lojas Intermarché em Portugal

Este investimento irá permitir a criação de 265 novos postos de trabalho de norte a sul do país, asseguram os responsáveis do grupo francês de distribuição.

Tribunal espanhol adia audições dos responsáveis do CaixaBank sobre compra do BPI

Segundo a agência Efe, problemas técnicos impediram a audição telemática do presidente da Criteria e ex-presidente do CaixaBank. O julgamento que está em curso desde 2018 decorre de uma queixa de acionistas minoritários que se sentiram lesados com algumas operações inerentes à compra do BPI em 2017.
Comentários