Governo: “Caso do filho do secretário de Estado mostra bem o absurdo de uma interpretação literal da lei”

O Governo aponta que a lei de 1995 das incompatibilidades não respeita o “principio constitucional da proporcionalidade”. A lei já foi revista, e foi publicada hoje em Diário da República, entrando em vigor na próxima legislatura.