Governo garante operação turística “sem problemas” na Páscoa com o fim da greve dos motoristas de combustíveis

A Secretaria de Estado do Turismo afirmou hoje que a operação turística no período da Páscoa “se desenrolará com normalidade”, depois de ter terminado a greve dos motoristas de matérias perigosas.

A greve dos motoristas de matérias perigosas terminou esta quinta-feira, 18 de abril, depois de o sindicato e a Associação Nacional de Transportadores Rodoviários de Mercadorias (ANTRAM) terem chegado a acordo com mediação do Governo e o gabinete da Secretaria de Estado do Turismo já garantiu que “a operação turística durante o período de Páscoa se desenrolará com normalidade”.

Em comunicado, a secretaria de Estado liderada por Ana Mendes Godinho assegurou que “os turistas, quer nacionais quer estrangeiros, dispõem de todas as condições para viajar sem problemas” por Portugal.

A greve chegou ao fim na madrugada desta quinta-feira depois de uma reunião, que durou cerca de dez horas, entre o Sindicato Nacional de Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP) e a ANTRAM, com mediação do Governo.

Numa declaração à algarcomunicação social, o ministro das Infraestruturas e Habitação, Pedro Nuno Santos, afirmou que a greve chegou ao fim e que o Governo vai iniciar um processo negocial que a profissão de motorista de matérias perigosas seja mais valorizada.

“Chegámos a acordo para levantamento da greve”, afirmou Pedro Nuno Santos. Contudo, o governante admitiu que a normalização dos serviços será “gradual” e “não imediata”. Esta quinta-feira já dever-se-á sentir significativas melhorias, mas o total restabelecimento da distribuição e abastecimento de combustível só deverá ocorrer a partir de segunda-feira ou terça-feira, dias 23 e 24 de abril respetivamente.

Já o SNMMP saudou o fim da paralisação em virtude de futuras negociações para responder às reivindicações dos trabalhadores. O porta-voz e advogado deste sindicato garantiu, após as declarações de Pedro Nuno Santos, que as negociações com os patrões do setor vão decorrer sem sobressaltos. “As negociações irão decorrer com tranquilidade. Acreditamos no bom senso e que chegaremos a uma conclusão com bom senso entre todas as partes”, afirmou Pedro Pardal Henriques.

A greve dos motoristas de matérias perigosas tinha começado às 00:00 de segunda-feira, 15 de abril, e foi convocada pelo SNMMP, por tempo indeterminado, para reivindicar o reconhecimento da categoria profissional específica.

Ler mais
Relacionadas

Combustíveis. PSD quer construção de oleoduto para abastecer aeroporto em Lisboa

O vereador do PSD diz que a crise dos combustíveis que se verificou nos últimos dias “deixou claro que não se podem repetir falhas logísticas nas principais infraestruturas do país”.

Petrolíferas avisam que repor combustíveis pode demorar até cinco dias

O ministro das Infraestruturas destacou a garantia de “paz social” acordada entre os motoristas de matérias perigosas para o processo negocial e referiu uma “normalização gradual” do abastecimento de combustíveis no país.

ANTRAM diz que levantamento da greve era acordo desejável

“Queria felicitar todas as empresas que souberam aguentar estes dias difíceis, a todos os trabalhadores que souberam erguer-se nesta altura e ajudar a empresa”, sublinha o presidente da ANTRAM, Gustavo Paulo Duarte.
Recomendadas

PS: Pedro Marques poupa palavras no metro de Lisboa mas reforça convicção na vitória

No nono dia de campanha do PS, Pedro Marques elegeu os passes sociais para apelar ao voto nas eleições europeias. Entre o desinteresse e a incerteza de quem passava, o ex-ministro promoveu a medida de reduzir o custo dos passes sociais e ouviu queixas. Mas não se alongou muito e optou por fazer a viagem quase sem falar com os passageiros.

Paulo Sande: “Vamos eleger dois eurodeputados do Aliança e será bom para o país ter uma nova atitude na Europa”

O cabeça-de-lista do novo partido Aliança expressa a sua confiança na obtenção de um bom resultado nas eleições europeias, sublinha a importância de “encontrar um equilíbrio” entre o federalismo e o soberanismo, propõe “deputados-sombra” para assegurar um maior escrutínio e quer que todas as normas europeias sejam avaliadas do ponto de vista do impacto ambiental.

Líder Trabalhista diz que não apoiará nova proposta de acordo de May

Theresa May apresentou hoje uma nova proposta para um acordo do ‘Brexit’, que levará ao Parlamento no próximo dia 03 de junho, mas precisa de uma maioria de deputados Conservadores e Trabalhistas para atingir o objetivo. Corbyn recusa “apoiar uma versão reaproveitada do antigo acordo”.
Comentários