Governo italiano injeta três mil milhões de euros na Alitalia

Sob controlo do estado, a companhia aérea ” irá concentrar-se fortemente em rotas de longo curso e também com novas alianças transatlânticas”, referiu o ministro italiano da Indústria Stefano Patuanelli.

O Governo italiano vai injetar, pelo menos, três mil milhões de euros na companhia aérea Alitalia, que está num processo de nacionalização depois de vários problemas financeiros que se agravaram com a pandemia da Covid-19, informa a agência “Reuters” esta quinta-feira, 7 de maio.

A Alitalia passou os últimos 11 anos sob gestão privada e falhou três tentativas de reestruturação, a que se juntaram problemas financeiros que foram exponenciados pela crise do coronavírus que devastou o setor aéreo de forma global.

Sob controlo do estado, a companhia aérea ” irá concentrar-se fortemente em rotas de longo curso e também com novas alianças transatlânticas”, referiu o ministro da Indústria Stefano Patuanelli durante uma intervenção no Parlamento italiano.

O ministro da Indústria acrescentou também que o Governo fará todos os possíveis para proteger os níveis atuais de emprego na companhia aérea italiana.

Recomendadas

Sindicato dos trabalhadores da Altice pede atuação da PGR no processo de despedimento coletivo

O STPT considera que a afirmação da comissão executiva da Altice Portugal ofende a “credibilidade, o prestígio e a confiança dos tribunais do trabalho, podendo vir a confirmar a prática dum ilícito grave”.

Precisa do passe com urgência? Metro de Lisboa abre dois postos de atendimento temporário

Localizam-se nas estações de Entre Campos e São Sebastião (linha Vermelha), com o horário de funcionamento igual ao dos postos já existentes nas estações Campo Grande (linhas Verde a Amarela) e Marquês de Pombal (linha Azul): dias úteis das 07h45 às 19h45.

Escassez dos semicondutores vai durar até meados de 2022, alerta Volkswagen

A falta dos ‘chips’ tem afetado a produção de automóveis em todo o mundo e deixou os concessionários com menos modelos para vender, mesmo com a pandemia a gerar um aumento na procura.
Comentários