Governo nomeia Sofia Lopes Portela para presidência do conselho diretivo da ADSE

Sofia Lopes Portela sucede a Carlos Liberato Baptista que renunciou ao cargo em maio, alegando então razões pessoais.

Ler mais

A professora do ISCTE – Instituto Universitário de Lisboa Sofia Maria Lopes Portela foi nomeada pelo Governo, esta quinta-feira, em Conselho de Ministros, para o cargo de presidente do conselho diretivo do Instituto de Proteção e Assistência na Doença (ADSE), na sequência da renúncia ao cargo de Carlos Liberato Baptista.

Sofia Portela, que já era vogal no conselho diretivo da ADSE, vai completar o mandato em curso da atual direção da ADSE, que termina a 16 de março de 2020.

Sofia Portela sucede a Carlos Liberato Baptista que renunciou ao cargo em maio, alegando então razões pessoais. Ainda em maio, seis membros do Conselho Geral e de Supervisão da ADSE acusaram Liberato Baptista de tomar “decisões inoportunas e ilegítimas” e, na sequência de uma notícia da TVI, o Ministério Público começou a recolher informações sobre a gestão do agora ex-presidente da ADSE – em causa, um alegado esquema de desvio de fundos e favorecimento de empresas.

Docente universitária desde 2000 no ISCTE – IUL, atualmente como professora assistente, Sofia Lopes Portela é doutorada em métodos quantitativos aplicados, mestre em gestão e empresas e licenciada em organização e gestão de empresas pelo ISCTE.

Já deu aulas na Húngria, na Budapest Business School, em 2015; na Polónia, na Kozminski University, em 2013; em Moçambique, na Universidade Politécnica, em 2012; e na Estónia, na Tallinn University of Technology, em 2011.

De acordo com o currículo disponibilizado no site da ADSE e no site do ISCTE, a nova presidente do conselho diretivo da ADSE tem “vários artigos” publicados em revistas científicas internacionais, tendo sido orientadora e coorientadora de “várias dezenas de teses de mestrado sobre temas de gestão geral e gestão de serviços de saúde”.

Foi ainda diretora executiva do Executive Master em Gestão de Serviços de Saúde do INDEG-ISCTE e Diretora do mestrado em gestão de serviços de saúde do ISCTE-IUL.

Entre 2000 e 2001 foi gestora na Sonaecom.

Relacionadas

ADSE sob suspeita de corrupção passiva, revela Ministério Público

Factos denunciados, explica a Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa, “envolvem o eventual pedido de contrapartidas ilícitas tendo em vista a eliminação de inquéritos abertos na ADSE a clínicas com acordos com este Instituto”.

ADSE: número de beneficiários cai 1,8% no primeiro trimestre

Número tem vindo a cair nos últimos anos e, segundo o balanço relativo ao primeiro trimestre, a ADSE perdeu mais 22.224 beneficiários até março, para um total de 1.189.756 pessoas.

Polícia Judiciária fez buscas às instalações da ADSE em Lisboa

A Unidade Nacional contra a Corrupção (UNCC) da Polícia Judiciária realizou na segunda-feira buscas às instalações da ADSE em Lisboa, confirmou à Lusa fonte da PJ.

ADSE critica decisões “inoportunas e ilegitimas” do presidente demissionário

Numa carta enviada ao presidente demisssionário da ADSE, Carlos Liberato Baptista, seis membros deste conselho pedem que este “se abstenha da prática de quaisquer atos que, de alguma forma, colidam com a boa gestão da ADSE”.

Novas regras da ADSE agradam aos hospitais privados

O presidente da APHP saudou as novas regras, embora considere que os “interesses dos beneficiários” não ficam servidos.
Recomendadas

Decisão sobre Infarmed é coerente e teve em conta vontade dos trabalhadores, diz ministro

O ministro da Saúde considera que a decisão de suspender para já a deslocalização do Infarmed para o Porto “é coerente” com o que Governo tem afirmado e foi tomada tendo em conta a vontade dos trabalhadores da instituição.

Infarmed pode manter-se em Lisboa. Tudo vai depender de comissão da Assembleia da República

Adalberto Campos Fernandes disse hoje aos deputados na comissão parlamentar de Saúde que “o contexto político mudou significativamente” em relação há um ano.

Greve dos enfermeiros com adesão entre 75% e 80%

Consultas externas, os blocos de cirurgia nos hospitais e os centros de saúde são os serviços mais afetados.
Comentários