Governo pondera pagar mais para médicos serem exclusivos do SNS

“Está a ser constituído um grupo de estudo para esse tema e para os modelos remuneratórios dos profissionais de saúde”, afirmou a ministra da Saúde.

O Governo está a trabalhar para que exista novamente uma dedicação exclusiva dos médicos nas unidades hospitalares públicas, revelou ao jornal “Público” a ministra da Saúde. Em entrevista, Marta Temido refere que se trata de “uma proposta” e “uma linha desenvolvimento” no programa do atual Executivo e Lei de Bases da Saúde.

“O primeiro aspeto é a definição daquilo que é o quando da Lei de Bases da Saúde ainda em discussão. O segundo é a necessidade de avaliação de como é que essa opção iria ser feita, e nós estamos a trabalhar nisso. Está a ser constituído um grupo de estudo para esse tema e para os modelos remuneratórios dos profissionais de saúde”, indicou a governante.

Em declarações a este diário, a ministra da Saúde salientou ainda a importância de melhorar a produtividade e admite que não sabe quantas legislaturas são necessárias para “reerger” o Serviço Nacional de Saúde. “O contexto é adverso de onde quer que olhemos para ele”, defende.

Em relação às Parcerias Público-Privadas (PPP), Marta Temido acredita que se deve caminhar para o não-alargamento das mesmas, amas “deixar abertura” para casos “excecionais” e “temporários”.

Recomendadas

Costa avisa Comissão Executiva da TAP que plano de rotas “não tem credibilidade”

O primeiro-ministro afirmou hoje que a Comissão Executiva da TAP tem o dever legal de “gestão prudente” e “não tem credibilidade” um plano de rotas sem prévia informação sobre a estratégia de reabertura de fronteiras de Portugal.

PS assinala “vontade inequívoca” do Governo de reforçar funções sociais do Estado e fazer investimento público

José Luís Carneiro encerrou a ronda de dois dias de reuniões do Governo com os partidos representados na Assembleia da República para debater o Programa de Estabilização Económica e Social.

Chega sugere “redução de despesas supérfluas do Estado”

Um dos exemplo apresentados por André Ventura para a redução de despesas do Estado é o corte “no número de organismos desnecessários quer no continente quer na regiões autónomas”
Comentários