Governo pondera usar semáforos para identificar zonas de maior risco de transmissão

O secretário de Estado da Saúde assume que a ideia passará por dividir Portugal por cores verde, amarelo e vermelho, consoante o risco de contágio for mais baixo ou mais alto. Sobre o uso de máscara na rua, Lacerda Sales admitiu que possa vir a ser obrigatório, se a epidemia piorar: “Tudo é uma possibilidade na indefinição de uma pandemia”, afirmou.

António Lacerda Sales, secretário de Estado da Saúde | António Cotrim/Pool/Lusa

O Governo está a ponderar utilizar um sistema de semáforos para identificar as zonas de maior risco de transmissão do coronavírus em Portugal. A ideia foi partilhada por António Lacerda Sales na quarta-feira à noite em entrevista à “SIC Notícias”.

Este sistema recorde-se já foi usado ao longo do verão no acesso às praias nacionais. Agora, o secretário de Estado da Saúde assume que está em estudo a ideia de dividir Portugal com base nos mapas municipais de infeções, utilizando as cores verde, amarelo e vermelho, consoante o risco de contágio for mais baixo ou mais alto.

Lacerda Sales revelou ainda que não serão encerradas as regiões com um maior número de infeções por Covid-19, à semelhança do que acontece por exemplo em Madrid, Espanha.

Nesta entrevista, o secretário de Estado da Saúde abordou também a possibilidade do uso obrigatório de máscara na rua. A decisão irá depender da evolução epidemiológica, tal como para eventuais confinamentos locais. “Não está preconizado neste momento, mas não consigo vaticinar aquilo que será a evolução epidemiológica. Tudo é uma possibilidade na incerteza, na indefinição de uma pandemia”, referiu.

Os últimos dados revelam que Portugal registou mais 802 casos de Covid-19, num total de 70.465 casos confirmados da Covid-19. O número de vítimas mortais do novo coronavírus no país aumentou para 1.928, tendo sidas registadas três vítimas mortais nas últimas 24 horas.

Recomendadas

INEM tem 18 profissionais infetados com Covid-19 e 39 de quarentena

Num boletim hoje divulgado, o Instituto Nacional de Emergência Médica avança que, a 22 de novembro, estavam 18 trabalhadores infetados, 38 em isolamento profilático e 16 profissionais estavam sob vigilância da Comissão de Controlo de Infeção e Resistência aos Antimicrobianos (CCIRA) do INEM, sendo o registo mais elevado desde o início da pandemia.

CGTP reconhece avanços no OE mas acusa PS de “manter intocáveis interesses do grande capital”

Para a Intersindical, “a situação que atravessamos, resultado de décadas de política de direita agravadas pela Covid-19, carece de uma resposta articulada, abrangente e que rompa com as causas que estão na origem dos constrangimentos estruturais com que o país se debate”.

Brexit: Portugueses falharam quase oito mil candidaturas à residência no Reino Unido

Das 296.850 candidaturas de cidadãos portuguesas processadas até ao final de setembro, 7.780 foram consideradas inválidas (3.610 ), retiradas ou anuladas (3.370) ou recusadas (800), o que corresponde a 2,6%, acima da média geral.
Comentários