Governo português reconhece Juan Guaidó mas presidente interino terá de convocar eleições

Portugal juntou-se aos vários países europeus que já reconheceram Juan Guaidó como presidente interino. Governo português considera que esta decisão é a que melhor defende os “interesses da vasta comunidade luso-venezuelana”,

O Governo português reconheceu oficialmente Juan Guaidó como presidente interino da Venezuela esta segunda-feira, juntando-se assim a vários países europeus.

“Portugal reconhecerá e apoiará a legitimidade do presidente da Assembleia nacional, Juan Guaido, como presidente interino nos termos constitucionais, com o encargo de convocar e preparar eleições presidenciais livres, inclusivas e justas”, disse o ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, esta segunda-feira.

O Governo considera que a decisão de apoiar Juan Guaidó serve os interesses dos lusos-venezuelanos que vivem neste país sul-americano. “Esta decisão é aquela que o Governo Português entende melhor defender os interesses da vasta comunidade luso-venezuelana, que fez da Venezuela o
seu lar e que comunga profundamente dos anseios do país que também é seu”, segundo um comunicado divulgado pelo ministério dos Negócios Estrangeiros esta segunda-feira.

Portugal  considera que o Juan Guaidó “possui a necessária legitimidade para assegurar uma transição pacífica, inclusiva e democrática, que permitirá evitar uma escalada da violência no país e restituir aos venezuelanos o poder de decidir livremente o seu destino, com vista a conduzir o seu País a um caminho de paz e prosperidade”.

Vários países europeus, como Espanha, França, Alemanha ou o Reino Unido, anunciaram hoje o reconhecimento de Juan Guaidó como presidente interino da Venezuela.

Este reconhecimento aconteceu depois da União Europeia ter lançado um ultimato ao Governo de Nicolás Maduro para convocar eleições antecipadas. Perante a recusa de Maduro, vários países avançaram hoje para o reconhecimento de Juan Guaidó como presidente interino.

 

Espanha, França, Reino Unido e Suécia reconhecem Guaidó como presidente interino da Venezuela

Ler mais

Relacionadas

Espanha, França, Reino Unido e Suécia reconhecem Guaidó como presidente interino da Venezuela

Os quatro países anunciaram a sua posição depois de Nicolás Maduro ter recusado o ultimato europeu. Findo o prazo dado pela União Europeia para a marcação de eleições presidenciais, estes governos avançaram com o apoio ao seu principal adversário. Augusto Santos Silva irá “explicar a posição portuguesa de reconhecimento de Juan Guaidó como presidente encarregado de convocar eleições livres e justas na Venezuela” ainda esta segunda-feira.

Trump admite intervenção militar na Venezuela. Maduro diz que EUA querem uma repetição da guerra do Vietname

A administração norte-americana está a aumentar a pressão sobre Nicolás Maduro. O presidente venezuelano rejeita o ultimato dos países europeus para que sejam convocadas eleições antecipadas.
Recomendadas

Mais de 264 mil portugueses estão em risco de desemprego devido à pandemia

Pandemia de Covid-19 pode fazer desemprego disparar 75% até ao final do ano, segundo cálculos do Jornal Económico, com base em cenários publicados pelo Banco de Portugal e dados do Instituto Nacional de Estatística. Serviços e indústria são os mais expostos, dizem especialistas.

Economia britânica recua 0,1% em fevereiro

A contração do PIB do Reino Unido, em parte devido ao setor da construção, surpreendeu os analistas britânicos, que esperavam inclusivamente um crescimento no segundo mês do ano.

Prazo para pedir apoio para dar assistência aos filhos e netos termina hoje

Os trabalhadores conta de outrem, se não conseguirem exercer as suas funções em teletrabalho, têm direito a um apoio financeiro excecional correspondente a 2/3 da sua remuneração base.
Comentários