Governo prevê 50 milhões de euros para aumentos na Função Pública

Neste orçamento, o Executivo prevê um total de 800 milhões de euros para remunerações na Administração Pública. Os números foram avançados esta terça-feira pelo ministro das Finanças, que considera “um esforço enorme no orçamento sobre as remunerações dos funcionários públicos”.

Cristina Bernardo

O Governo prevê disponibilizar 50 milhões de euros para aumentos na Função Pública e antecipa uma subida do salário médio destes trabalhadores superior a 3%. O montante foi anunciado esta terça-feira, 16 de outubro, pelo ministro das Finanças, aquando a apresentação do Orçamento do Estado para 2019 (OE2019).

Neste orçamento, o Executivo conta com um total de 800 milhões de euros para remunerações na Administração Pública (AP), o que, segundo Mário Centeno, perante promoções e progressões, faz com que o salário médio na AP cresça 68 euros. “É o maior incremento salarial da administração pública portuguesa da última década”, frisou Mário Centeno, em conferência de imprensa.

Aos jornalistas, o governante enfatizou que estes valores representam “um esforço enorme no orçamento sobre as remunerações dos funcionários públicos” e adiantou ainda que haverá programa de contratações no Estado, para que “os quadros da administração pública possam ser renovados, em particular nas áreas técnicas”. Com esta subida, o Executivo pretende que os trabalhadores estejam “mais motivados”.

“É a grande ambição dos funcionários públicos que a suas carreiras progridam (…). Estão a ser descongelados nove anos de carreiras em dois anos civis”, realçou o ministro das Finanças.

Em entrevista à Antena 1, o ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social já tinha explicado que os aumentos salariais das Função Pública não iriam comprometer novas contratações: “O Estado deixou de ser um contratante de quadros qualificados, para além das áreas especificas da saúde e da educação e pouco mais, o que significa que na generalidade dos ministérios há áreas muito importantes que estão muito debilitadas”.

Notícia atualizada às 9h22

Relacionadas

Veja aqui em direto a apresentação do OE2019

O Orçamento de Estado para 2019 é hoje entregue no Parlamento. Siga aqui as linhas mestras do documento e o que vai mudar para famílias e empresas.

Mário Centeno: OE2019 “define um marco histórico para Portugal”

O ministro das Finanças apresenta esta terça-feira ao país, em conferência de imprensa, o Orçamento do Estado para 2019.

OE2019 chegou ao Parlamento às 23h49. Centeno apresenta hoje ao país

Conferência de imprensa de Mário Centeno estava marcada para o fim da tarde de segunda-feira, mas foi adiada para o dia seguinte. Acompanhe em direto no Jornal Económico, a partir das 8h30.
Recomendadas

PRR serve “quem já está à mesa do Orçamento”, diz Viriato Soromenho-Marques

De acordo com o professor na Universidade de Lisboa, o Plano de Recuperação e Resiliência privilegia os grandes grupos económicos: “Essas pessoas não precisam de nenhum partido, já lá está o partido que lhes serve os interesses, já está instalado”.

Milhões da Europa começam a chegar este ano para o hidrogénio verde

O Plano de Recuperação e Resiliência vai começar a distribuir apoios já este ano e vai ser lançado um leilão para atribuir apoios. Várias empresas estão já a trabalhar para desenvolver um ‘cluster’ industrial de H2 verde de Sines.

Portugal terá a ganhar com acordo tributário global, diz ministro das Finanças

João Leão ressalva, contudo, ser “prematuro retirar consequências diretas para Portugal” deste compromisso, uma vez que este dependerá da forma como a criação de uma taxa mínima global sobre os lucros daquelas empresas e a atribuição de direitos fiscais aos países onde as empresas operam e não apenas onde estão sedeadas se irão articular e também de questões que precisam ainda de ser consensualizadas.
Comentários