Governo quer aumentar apoio às empresas de táxis para compra de carros elétricos

Para o secretário de Estado Adjunto e do Ambiente, José Mendes, justifica-se “gastar um pouco mais de dinheiro público com um setor importante no ecossistema da mobilidade”.

As empresas de táxis terão um apoio público maior do que os atuais 2.250 euros para a aquisição de automóveis elétricos e poderão vir a adquirir mais cinco carros por cada operador, de acordo com o “Jornal de Notícias” (JN) desta quarta-feira.

O secretário de Estado Adjunto e do Ambiente, José Mendes, defendeu que o Governo está em condições de criar um plano de apoio à eletrificação das frotas de táxis, em declarações ao JN.

Este é um tema na agenda do grupo de trabalho criado pelo Governo, integrado pela  ANTRAL e Federação Portuguesa do Táxi. Segundo o governante, justifica-se “gastar um pouco mais de dinheiro público com um setor importante no ecossistema da mobilidade”.

Sobre a modernização das frotas de táxis, o JN diz que deverá ser discutida a atribuição da redução de 70% nos impostos sobre veículos (ISV) apenas para táxis menos poluentes e a fixação do limite a dez anos para a circulação das viaturas.

“O Táxi tem uma isenção de 70% no ISV, que pode chegar aos 100% em alguns casos. Hoje a lei permuite que essa isenção seja atribuída a veículos até quato anos e com emissões até 160 gramas de CO2 [dióxido de carbono] por quilómetro. Não faz sentido atribuir benefícios fiscais a veículos mais poluentes”, disse José Mendes.

Relacionadas

Nissan deixará de ter carros a diesel na Europa

A fabricante de automóveis japonesa vai abandonar de forma “gradual” o mercado europeu, para centrar a sua estratégia no desenvolvimento de veículos elétricos.

Assembleia da República discute novas medidas para renovação do setor do táxi

As propostas incluem a alteração das tarifas, melhoria das condições de trabalho, revisão das taxas e licenças e renovação das frotas.

Respostas Rápidas: porque é que Marcelo vetou a “lei da Uber”?

O Presidente da República (PR) decidiu devolver, sem promulgação, o Decreto nº 201/XIII, relativo ao regime jurídico de transporte individual e remunerado de passageiros em veículos descaraterizados a partir de plataforma eletrónica (TVDE).
Recomendadas

Presidente da República promulga diploma para travar práticas comerciais desleais

O governo pretende contribuir para um mercado concorrencial no setor do turismo, livre de práticas comerciais “que desequilibrem as relações económicas”.

Trabalhadores da Fundação Casa da Música em greve por “discriminações salariais” e “falsos contratos”

Os trabalhadores da Fundação Casa da Música filiados no sindicato Cena-STE realizam hoje um dia de greve pelo fim das condições precárias de trabalho. Na base das queixas estão as discriminações salariais, falsos contratos a termo e recibos verdes e ausência de carreiras, entre outras. Sindicato acusa administração de “inflexibilidade negocial”.

Goldman Sachs diz que novas restrições decorrentes da pandemia vão travar a subida da inflação

“Reduzimos a nossa projeção de crescimento anual [da zona euro] para 5,1% para 2021 (queda de 0,1 pp) e 4,3% para 2022 (queda de 0,1 pp), mas aumentamos a nossa projeção de 2023 para 2,5% (subida de 0,1 pp)”, estimam os economistas do banco norte-americano.
Comentários