Governo quer renegociar caudais do Rio Tejo com Espanha

Em causa está a instabilidade registada nos caudais do Rio Tejo e o objetivo seria que uma maior regularidade no envio de água para Portugal, já que a soma dos valores mínimos anuais diários registados na Convenção não atingem o mínimo anual que Espanha deve libertar.

O Governo quer pedir um “aprofundamento” de um anexo da Convenção de Albufeira a Espanha sobre os mínimos de água que o país vizinho de enviar para Portugal, noticia o jornal “Público”, este sábado.

Em declarações ao matutino, o ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, considerou que será necessário alterar não apenas os mínimos diários de água que Espanha tem de enviar para Portugal, mas também nos valores semanais e trimestrais.

Em causa está a instabilidade registada nos caudais do Rio Tejo e o objetivo seria que uma maior regularidade no envio de água para Portugal, já que a soma dos valores mínimos anuais diários registados na Convenção não atingem o mínimo anual que Espanha deve libertar.

“Para garantir a regularidade dos caudais, não basta falar dos mínimos da semana ou do dia – é preciso que os mínimos do trimestre cresçam”, disse o ministro da tutela.

Recomendadas

Lisboa quer chegar ao fim de 2020 com quatro mil compostores

A instalação de painéis solares para dar energia a automóveis ou o aproveitamento de óleos alimentares para se transformarem em energia para carros que usem combustíveis fósseis foram outras medidas anunciadas pelo vereador Carlos Castro nas 11ªas Jornadas Técnicas Internacionais de Resíduos que estão a decorrer na capital até à próxima segunda-feira.

Ministro da Educação destaca retirada de amianto das escolas mas problema não acabou

O Ministério da Educação removeu “muitos milhares de metros quadrados de placas com amianto” das escolas nos últimos quatro anos, mas o ministro reconhece que ainda há trabalho a fazer.

Zero, MESA e Fenprof lançam petição para remoção total do amianto nas escolas

A associação ambientalista Zero, o MESA – Movimento Escolas Sem Amianto e a Fenprof lançam hoje uma petição pública a exigir a remoção total do amianto nos estabelecimentos de ensino, traçando como objetivo a discussão do documento no parlamento.
Comentários