Governo recebeu mais de 1.200 pedidos de apoio para comprar carro elétrico até agosto

O Fundo Ambiental recebeu, até esta quarta-feira, 1.243 candidaturas de apoio à aquisição de veículos elétricos, de acordo com os dados divulgados pelo Ministério do Ambiente. Trata-se de um aumento de 50% face ao período homólogo.

O número de pedidos de apoio para comprar veículos elétricos aumentou 50% quando comparado com o período homólogo do ano passado. Até esta quarta-feira, 22 de agosto, o Fundo Ambiental já recebeu 1.243 candidaturas à ajuda do Governo português.

Os dados, divulgados hoje pelo Ministério do Ambiente, mostram que este auxílio público está a conquistar cada vez mais interessados, e segue em linha com a subida nas vendas deste tipo de automóveis. Segundo a Associação do Comércio Automóvel de Portugal, a venda de viaturas elétricas quase triplicou (+170,9%) em Portugal entre os meses de janeiro e abril, para 1.184 veículos.

O gabinete de João Pedro Matos Fernandes salienta, em comunicado, que o programa está aberto a candidaturas de pessoas singulares – para apoio à aquisição de uma unidade – ou coletivas – destinado a um máximo de cinco unidades e que este ano dá igualmente auxílio à compra de ciclomotores e motociclos híbridos.

O Fundo Ambiental, criado em 2016 a partir de quatro outros fundos geridos pelo Ministério do Ambiente, disponibiliza 2.250 euros para comprar carros elétricos e apoia em 20% (até o máximo de 400 euros) a compra de veículos de duas rodas.

Recomendadas

Fim de semana terá chuva e descida das temperaturas

“Devido à passagem de uma superfície frontal fria, no domingo vamos ter chuva e uma descida da temperatura de 3 a 6 graus”, refere o IPMA.

Água nas barragens algarvias dá para abastecer região até final do ano

Empresa responsável pela gestão do sistema municipal do abastecimento de água nos 16 municípios da região indicou que não existem “zonas críticas” de abastecimento às populações, já que a estação elevatória reversível de Loulé permite a “transferência de água de barlavento para sotavento e vice-versa”.

Vítor Gaspar alerta: “Aquecimento global tornou-se uma ameaça clara e presente”

“O aquecimento global tornou-se uma ameaça clara e presente. Ações e compromissos assumidos até agora foram insuficientes. Quanto mais esperarmos, maior a perda de vida e maiores os danos para a economia mundial”, pode ler-se no início do artigo.
Comentários