Governo reconhece como catástrofe natural incêndios de Vila de Rei e Mação

O Governo reconheceu como catástrofe natural o incêndio que atingiu diversas freguesias dos municípios de Vila de Rei e de Mação, entre 20 e 23 de julho, e vai conceder auxílios para as explorações agrícolas, foi hoje anunciado.

Num despacho hoje publicado em Diário da República, o Governo refere que os incêndios florestais que deflagraram entre 20 e 23 de julho, “de enormes e devastadoras proporções, provocaram vastos danos e prejuízos, com particular incidência em determinadas freguesias dos municípios de Vila de Rei e Mação”, nos distritos de Castelo Branco e Santarém, respetivamente.

Desta forma, refere o despacho, o Governo estabelece igualmente um auxílio, através do Programa de Desenvolvimento Rural do Continente (PDR 2020), à reconstituição ou reposição do potencial produtivo das explorações agrícolas danificadas, à semelhança do que já tinha feito anteriormente com a tempestade Leslie que atingiu a zona centro, particularmente a Figueira da Foz, em outubro de 2018.

Os apoios concedidos no âmbito desta operação visam ajudar a reconstituição ou reposição das condições de produção das explorações agrícolas afetadas por calamidades naturais, acidentes climáticos adversos ou eventos catastróficos por forma a criar condições para o seu regresso a uma atividade normal.

As freguesias mais atingidas pelas chamas foram as da Fundada e de São João do Peso, do município de Vila de Rei, e a de Amêndoa e de Cardigos, no município de Mação.

Só são elegíveis ao apoio referido as explorações cujos danos sofridos ultrapassem 30% do seu potencial agrícola.

De acordo com o despacho hoje publicado, os níveis de apoio a conceder repartem-se pelos seguintes escalões: 100% da despesa elegível igual ou inferior até cinco mil euros, 85% para prejuízos entre os cinco mil euros e os cinquenta mil euros e 50% entre os 50 mil euros e os 800 mil euros.

O incêndio que deflagrou em 20 de julho em Vila de Rei e que se propagou ao concelho de Mação, foi dado como dominado em 23 de julho, tendo provocado 17 feridos transportados ao hospital, de acordo com as autoridades.

Ler mais
Recomendadas

Sindicato denuncia “agravada exploração” de trabalhadores no Complexo de Sines

“A precariedade está inerente ao trabalho à hora e esta questão é muito complicada e importa terminar porque reporta-nos para vínculos de trabalho quase da pré-revolução industrial, um grave problema que temos neste complexo industrial e temos de acabar com ele”, avançou hoje à agência Lusa o coordenador local do SITE Sul, Hélder Guerreiro.

PSP identificou sete pessoas no caso do vídeo de jovem obrigado a inalar fumo de escape

Depois do vídeo partilhado nas redes sociais em que se vê um jovem negro ser obrigado a inalar fumo de escape de uma viatura, a PSP rapidamente conseguiu identificar os intervenientes e apurou que se tratou de uma aposta feita num contexto de um grupo de amigos. O caso foi remetido para o ministério público.

Sondagem: 80% dos inquiridos a favor de referendo sobre eutanásia

Dos inquiridos que defendem um referendo, 67,8% votariam a favor da despenalização da eutanásia. No entanto, 61,1% defende que a eutanásia só deve ser administrada por médicos. Já 73,9% dos inquridos considera que os pacientes devem ser submetidos a avaliação psicológica.
Comentários