Governo Regional da Madeira investe 7,8 milhões de euros em obra na Escola da Ribeira Brava

Relativamente a próximas obras no concelho da Ribeira Brava, Pedro Fino, avançou que na Tabua há uma obra em curso para a canalização da ribeira e que a estrada regional vai ser consolidada no próximo ano.

O Governo Regional da Madeira investiu 7,8 milhões de euros numa obra na Escola da Ribeira Brava. O Secretário Regional de Equipamentos e Infraestruturas, Pedro Fino, explicou esta sexta-feira, que a escola vai passar a ter 40 salas de aula e um auditório, para servir a comunidade escolar, bem como a população em geral, um polidesportivo, vai criar acessibilidades para pessoas com mobilidade reduzida e proporcionar mais estacionamentos à escola.

“A conclusão da primeira fase da obra vai acontecer no primeiro trimestre do próximo ano, e depois em dezembro, do próximo ano, está prevista a conclusão da segunda fase. Este faseamento permite que a escola tenha um funcionamento regular e que o sistema de refeições para os alunos seja mantido”, afirmou o Secretário.

Já o Secretário Regional da Educação, Ciência e Tecnologia, Jorge Carvalho, realça que a obra vai responder aos desafios futuros “e vem criar excelentes condições para que os alunos do concelho da Ribeira Brava possam usufruir de um excelente espaço para a sua formação”.

Relativamente a próximas obras no concelho da Ribeira Brava, Pedro Fino, avançou que na Tabua há uma obra em curso para a canalização da ribeira e que a estrada regional vai ser consolidada no próximo ano.

Recomendadas

Albuquerque confirma ciclo de diálogo após PS ter deixado de “tentar prejudicar” Madeira

O governante destacou que já se registaram avanços no Orçamento do Estado para 2020 em matéria da clarificação do financiamento do novo hospital da Madeira e da introdução de uma taxa variável que permitiu a redução de sete milhões de euros por ano no serviço da dívida da região.

Albuquerque garante que governo PSD/CDS vai cumprir legislatura até ao fim

Para Miguel Albuquerque, este primeiro período de governação conjunta tem “corrido muito bem”, porque o executivo, “acima dos interesses partidários, põe os da população que serve”.
Comentários