Greve dos Motoristas: GNR esclarece que nenhum trabalhador está detido

A GNR esclareceu esta quarta-feira que nenhum motorista em greve está detido e que quatro trabalhadores apresentaram-se “voluntariamente” para cumprir o serviço, depois de terem sido notificados de que, não comparecerem no local de trabalho, constituía crime de desobediência.

Mário Cruz/Lusa

“A Guarda Nacional Republicana vem esclarecer que foram quatro trabalhadores notificados de que a sua não comparência no local de trabalho constituía a prática do crime de desobediência”, lê-se num comunicado da GNR.

Na nota, a GNR adianta também que, depois desta notificação, os quatro trabalhadores “decidiram voluntariamente cumprir o serviço para o qual estavam nomeados”.

Assim, é ainda acrescentado, não se encontra nenhum trabalhador detido.

Cerca de uma hora antes de ter sido emitido este comunicado, o porta-voz do Sindicato Nacional dos Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP), Pedro Pardal Henriques, disse que, pelo menos, dois motoristas tinham sido foram detidos pela GNR em casa, esta tarde, por se recusarem a trabalhar.

Relacionadas

“Nunca se viu isto”. Dois camionistas detidos por desobediência em Aveiras, revela líder sindical

Camionistas terão sido detidos por desobediência pela GNR e conduzidos à sede da empresa para a qual trabalham, em Aveiras.

Governo não vê motivos para alargar requisição civil

O Executivo termina o comunicado realçando que não existem motivos para “a revisão dos termos da requisição civil em vigor”.

Pena de prisão até dois anos ou multa até 240 dias. E se os motoristas não cumprirem a requisição civil?

A moldura penal para o crime de desobediência qualificada está prevista no nº2 do artigo 348 do Código Penal. Assim, quem cometer este crime pode incorrer numa pena de prisão de até dois anos ou numa pena de multa até 240 dias.
Recomendadas

Motoristas: Ministro diz que há cada vez mais condições para que greve não aconteça

O ministro do Ambiente e da Transição Energética afirmou esta sexta-feira que “há cada vez mais condições” para que a greve dos motoristas convocada para setembro não aconteça.

Boris Johnson diz que ‘backstop’ “simplesmente tem de sair” do acordo para o Brexit

O primeiro-ministro britânico disse esta quarta-feira o Reino Unido “não pode aceitar” o atual acordo de saída da União Europeia e que o mecanismo de salvaguarda para a fronteira irlandesa “tem de sair” do texto.
pedro-pardal-henriques

Motoristas avançam com greve ao trabalho suplementar no início de setembro

O sindicato dos motoristas de matérias perigosas vai entregar hoje o pré-aviso de greve ao trabalho suplementar, após não chegarem a acordo com os patrões. “O único regime em que as pessoas podem fazer trabalho suplementar sem receberem é a Coreia do Norte”, disse Pardal Henriques.
Comentários