Grupo independente de peritos apela a maior investimento da UE em investigação e inovação

O futuro da investigação e inovação na Europa está hoje em debate na conferência Researche & Innovation – Shaping our future, organizada por Carlos Moedas, Comissário para Investigação, Ciência e Inovação.

Durante esta conferência, serão apresentadas à Comissão Europeia um conjunto de onze recomendações, as quais compilam uma nova visão para a investigação e inovação da UE, preparada por um grupo independente de alto nível de peritos liderados por Pascal Lamy, presidente emérito do Instituto Jacques Delors.

Nestas recomendações, que constam num relatório elaborado por mais 700 cientistas, inovadores, empresários e decisores políticos, é sublinhado, por exemplo, a necessidade de a UE explorar melhor o conhecimento que produz e transformar o seu potencial de inovação em crescimento económico; a defesa de que a investigação e a inovação sejam prioritárias nos orçamentos nacionais e da UE, duplicando o orçamento do programa que venha a suceder o Horizonte 2020 (atual programa de investigação e inovação da UE); e é ainda feito o apelo para que os cidadãos passem a estar envolvidos  na resolução de desafios globais através de missões de inovação amplamente mobilizadoras, entre outros pontos.

A propósito desta conferência, o Comissário Moedas afirmou que a investigação e a inovação “fazem uma grande diferença na produtividade, aumentando a competitividade e melhorando de forma tangível a nossa qualidade de vida. A Europa é uma potência cientifica global, mas é preciso aproveitar melhor os benefícios deste conhecimento, transformando-o em valor para a economia e para a sociedade através da inovação”.

já sobre a apresentação das recomendações, Carlos Moedas, salientou que o trabalho do grupo independente presidido por Pascal Lamy será “calorosamente recebido” e que as suas recomendações “constituem uma base sólida para a nossa reflexão sobre o programa de financiamento que vai suceder o Horizonte 2020”, conclui.

 

 

 

Ler mais

Recomendadas

Portugal promove “soluções para impacto assimétrico da crise”, garante ministro das Finanças

“Chegámos a um acordo sem precedentes que permite a emissão de dívida europeia em larga escala para financiar a recuperação economia europeia através dos programas de recuperação europeus”, referiu João Leão depois da reunião do G20.

Lei que acelera levantamento das penhoras entra em vigor amanhã

Na origem desta lei, publicada esta sexta-feira, está uma proposta do Governo – alvo de várias alterações durante a discussão na especialidade, no parlamento – de alteração a diversos códigos fiscais.

Nazaré da Costa Cabral: “Existe uma grande incerteza quanto ao desempenho da economia em 2021”

A presidente do Conselho das Finanças Públicas, Nazaré da Costa Cabral, diz que a situação da economia portuguesa é “complexa”, estando dependente da evolução da pandemia e da capacidade de recuperar da “má imagem” internacional para voltar a conquistar turistas.
Comentários