Grupo Os Mosqueteiros investe 25,3 milhões para abrir mais seis lojas Intermarché em Portugal

Este investimento irá permitir a criação de 265 novos postos de trabalho de norte a sul do país, asseguram os responsáveis do grupo francês de distribuição.

O Grupo Os Mosqueteiros vai investir 25,3 milhões de euros na abertura de seis novas lojas da cadeia de distribuição Intermarché em Portugal

“No prazo de um mês, vão abrir três novas lojas Intermarché e três pontos de venda Bricomarché, subindo para 331 o número de superfícies comerciais do Grupo Os Mosqueteiros em Portugal. Este crescimento representa um investimento de 25,3 milhões de euros que irá permitir a criação de 265 novos postos de trabalho de norte a sul do país”, destaca um comunicado do grupo francês de distribuição.

De acordo com este documento, “as localidades de Arcozelo e Barcelos, distritos do Porto e Braga respetivamente, vão receber lojas do Intermarché e Bricomarché”, acrescetnando que “também Ponte de Lima vai assistir à inauguração de um Bricomarché e Fernão Ferro irá abrir portas de um Intermarché”.

“Todas as seis lojas vão abrir nas próximas quatro semanas”, assegura o comunicado em questão.

Laurent Boutbien, presidente do Grupo Os Mosqueteiros, afirma que, “nos últimos anos, os preços competitivos e a oferta de produtos com qualidade, têm vindo a conquistar mais clientes e também empresários, que chegam ao grupo com vontade de abrir e gerir o seu próprio negócio”.

“Estamos a conseguir cumprir as metas que estipulámos, o que nos dá confiança e motivação para continuar a trabalhar para os portugueses. Num ano tão atípico como o que vivemos, continuamos a contribuir para reforçar a economia e o emprego local e a consolidar a nossa dimensão e representatividade em Portugal. Sentimos hoje, mais do que nunca, a importância da nossa missão”, assegura este responsável.

Para os responsáveis dos Mosqueteiros, “as novas aberturas seguem o plano estratégico delineado pelo grupo para as três insígnias”.

“Desde o início do ano, o grupo abriu lojas Intermarché em Samora Correia, em Armamar, em Alcanede e na Quinta da Piedade. A somar a estas, inaugurou ainda duas lojas Bricomarché, uma em Tondela e outra em Fafe. No total, e para este ano, o grupo previu a abertura de cerca de 19 pontos de venda, num investimento na ordem dos 68 milhões de euros, garantindo desta forma a criação de 500 novos postos de trabalho, bem como a oportunidade para a entrada de novos aderentes neste modelo de negócio diferenciado”, conclui o comunicado da cadeia distribuidora francesa.

O Grupo Mosqueteiros assume-se como um dos maiores grupos de distribuição mundiais multi-insígnia que opera em quatro países europeus, entre os quais Portugal, “atuando com um posicionamento muito particular, único mesmo num setor de atividade tão moderno e criativo, já que a sua gestão global é partilhada pelo conjunto dos proprietários de cada uma das lojas em cada país”.

Em Portugal, o Grupo Os Mosqueteiros atua com três insígnias: Intermarché, “supermercados especialistas em produtos frescos, que se adaptam às realidades dos locais onde se localizam”; Bricomarché, que integra cinco áreas dentro do mesmo espaço (decoração, ‘bricolage’, materiais de construção, jardinagem e produtos para animais de estimação); e Roady, um centro-auto especialista na manutenção, equipamento, reparação, acessórios e peças para automóvel.

Ler mais
Recomendadas

ViniPortugal coloca mais de 1.500 vinhos nacionais à venda em mais de 2.500 supermercados do Brasil

Portugal ocupa, desde 2016, a 2ª posição no ‘ranking’ de importação de vinhos no Brasil. No primeiro semestre de 2020, Portugal registou um crescimento de 16,8% no mercado brasileiro, com um aumento de 17,2% em volume e de 18,6% em valor. Estes valores deverão subir de forma significativa após esta parceria da ViniPortugal com a ABRAS – Associação Brasileira de Supermercados.

Donos da Makro reforçam aposta em Portugal com compra do grupo Aviludo

O Grupo Aviludo gerou um volume de negócios de 152 milhões de euros em 2019, chegando a mais de 13.500 estabelecimentos e empresas. A transação aguarda ainda a aprovação de várias entidades competentes, tendo as partes envolvidas concordado em não divulgar o valor do negócio.

PremiumRetalho em perda critica alarmismo sobre o Natal

Gonçalo Lobo Xavier, da Associação Portuguesa de Empresas de Distribuição, ataca restrições do Governo e declarações do Presidente da República.
Comentários