Grupo Pestana começa a reabrir hotéis e Pousadas a partir de cinco de junho

A partir do início de junho, volta a abrir na região de Lisboa, o Pestana Cascais. No Algarve, reabrem o Pestana Viking, Pestana Alvor South Beach e o Pestana Dom João Villas.

O grupo Pestana anunciou hoje que vai reabrir alguns dos seus hotéis a partir de cinco de junho.

Numa primeira fase voltam a abrir, na região de Lisboa, o Pestana Cascais e, no Algarve, o Pestana Viking, Pestana Alvor South Beach e o Pestana Dom João Villas, segundo comunicado divulgado esta segunda-feira, 18 de maio.

Por sua vez, as Pousadas de Portugal reabrem a partir desta data as unidades de Viana do Castelo, Ria de Aveiro, Alcácer do Sal, Sagres, Valença e Bragança.

O Pestana Tróia Eco-Resort está já disponível, segundo a empresa hoteleira, bem como os campos de golfe do grupo.

Na Madeira, o Casino da Madeira está igualmente pronto a reiniciar atividade durante o mês de junho.

O grupo Pestana diz que “implementou um protocolo interno de procedimentos com o objetivo de oferecer as melhores condições de segurança e higiene a hóspedes e colaboradores”.

As medidas adotadas pelo grupo hoteleiro incluem a “criação de circuitos de circulação, devidamente identificados, tendo em vista o distanciamento social; novas funcionalidades da app, permitindo menor contato pessoal e disponibilização de novos serviços neste canal e colocação de acrílicos de proteção nas receções”.

“Foram reforçados os procedimentos e frequência da limpeza e higienização, quer dos espaços de alta frequência e de acesso comum (piscinas, elevadores e outros), quer dos quartos (sem a presença dos hóspedes durante o período de ocupação)”, de acordo com o comunicado.

Já os trabalhadores do grupo Pestana vão estar “devidamente equipados com materiais de proteção individual (máscaras, viseiras, protetores de sapatos, luvas, álcool-gel) e, aos hóspedes, são lembradas as recomendações de distanciamento social e etiqueta respiratória da Direção-Geral da Saúde. Os restaurantes funcionam por marcação, estando também disponíveis serviços de take-away e room service“.

Ler mais
Recomendadas

António Saraiva: “Empresas precisam de apoios a fundo perdido. Não querem agravar dívida”

O barómetro semanal CIP/ISCTE revela que 82,2% das empresas preferem apoios para capitalização que não agravem o seu endividamento e 41,7% dizem que querem suspender ou cancelar investimentos previstos para 2020. O presidente da CIP, António Saraiva diz que as necessidades das linhas de apoio às empresas aumentaram para 10,5 mil milhões de euros.

Centros comerciais e lojistas preparados para reabrir em junho

“A APCC [Associação Portuguesa de Centros Comerciais] enquanto interlocutor deste setor em Portugal reitera que os centros comerciais e os seus lojistas estão preparados para voltar em pleno no início da fase três do plano de desconfinamento, tal como previsto”, indicou, em comunicado, a associação.

Governo alemão e Lufthansa fecham resgate que pode ascender a 9 mil milhões de euros

Com este resgate, o governo alemão ficará como principal acionista da companhia aérea com 20% de participação no capital da empresa. O acordo permanecerá pendente até que a Comissão Europeia dê o seu “aval”.
Comentários